Menu

Faze o que tu queres serÁ o todo da Lei.

LIBER AL VEL LEGIS sub figvrâ CCXX

I

1. Had! A manifestação de Nuit.

2. O desvelar da companhia do céu.

3. Todo homem e toda mulher é uma estrela.

4. Todo número é infinito; não há diferença.

5. Ajude-me, oh guerreiro senhor de Tebas, em meu desvelamento perante as Crianças dos Homens.

6. Sê tu Hadit, meu centro secreto, meu coração & minha língua!

7. Vê! é revelado por Aiwass o ministro de Hoor-paar-kraat.

8. O Khabs está no Khu, não o Khu no Khabs.

9. Adorai então o Khabs, e contemplai minha luz derramada sobre vós!

10. Que meus servidores sejam poucos & secretos: eles regerão os muitos e conhecidos.

11. São tolos esses aos quais os homens adoram; tanto os seus Deuses quanto os seus homens são tolos.

12. Aparecei, ó crianças, sob as estrelas, & tomai a vossa plenitude de amor.

13. Eu estou sobre vós e em vós. O meu êxtase está no vosso. O meu prazer é ver o vosso prazer.

14. Acima, o gemado azul-celeste é
O esplendor desnudo de Nuit;
Ela se curva em êxtase para beijar
Os ardores secretos de Hadit.
O globo alado, o estrelado azul,
São meus, Ó Ankh-af-na-khonsu!

15. Agora vós sabereis que o sacerdote & apóstolo escolhido do espaço infinito é o sacerdote-príncipe a Besta; e em sua mulher chamada a Mulher Escarlate está todo o poder concedido. Eles reunirão minhas crianças em seu redil: eles trarão a glória das estrelas para os corações dos homens.

16. Pois ele é sempre um sol, e ela uma lua. Mas é para ele a chama alada secreta, e para ela a descendente luz estelar.

17. Mas vós não sois assim escolhidos.

18. Arde sobre suas frontes, ó serpente esplendorosa!

19. Ó mulher de pálpebras azuis, curva-te sobre eles!

20. A chave dos rituais está na palavra secreta que Eu dei a ele.

21. Com o Deus & o Adorador eu nada sou: eles não me vêem. Eles são como sobre a terra; Eu sou Céu, e não há outro Deus além de mim, e meu senhor Hadit.

22. Agora, portanto, eu sou conhecida por vós por meu nome Nuit, e dele por um nome secreto que eu lhe darei quando enfim me conhecer. Uma vez que eu sou Espaço Infinito, portanto Estrelas Infinitas, vós também sois assim. Nada obrigue! Que não haja diferença feita por vós entre uma coisa e qualquer outra coisa; porque daí vem a dor.

23. Mas quem quer que se valha disso, que seja o mestre de tudo!

24. Eu sou Nuit, e minha palavra é seis e cinquenta.

25. Dividi, somai, multiplicai e compreendei.

26. Então, diz o profeta e escravo da bela: Quem sou eu, e qual será o sinal? Então, ela lhe respondeu, curvando-se, uma gentil chama de azul, tudo-tocante, tudo penetrante, suas amáveis mãos sobre a terra negra, & seu corpo ágil arqueado para o amor, e seus pés macios sem machucar as pequenas flores: Tu sabes! E o sinal será meu êxtase, a consciência da continuidade da existência, a onipresença de meu corpo.

27. Então o sacerdote respondeu e disse à Rainha do Espaço, beijando suas amáveis sombrancelhas, e o orvalho de sua luz banhando o corpo dele inteiro em um doce perfume de suor: Ó Nuit, contínua do Céu, que seja sempre assim; que os homens não falem de Ti como Uma mas como Nenhuma, e que eles não falem de ti de modo algum, uma vez que tu és contínua!

28. Nenhuma, respirou a luz, pálida & feérica, das estrelas, e dois.

29. Pois Eu estou dividida pelo amor ao amor, pela chance de união.

30. Esta é a criação do mundo, que a dor da divisão é como nada, e o prazer da dissolução tudo.

31. Por estes homens tolos e suas dores sequer se preocupem. Eles pouco sentem; o que é, é compensado por débeis prazeres; mas vós sois meus escolhidos.

32. Obedecei meu profeta! Persegui os ordálios do meu conhecimento! Buscai somente a mim! Então os prazeres do meu amor vos redimirão de toda dor. Isto é assim: eu juro pela abóbada do meu corpo; pelo meu coração e língua sagrados; por tudo que eu posso dar, por tudo que eu desejo de vós todos.

33. Então o sacerdote caiu num profundo transe ou desmaio, & disse a Rainha do Céu; Escreve para nós os ordálios; escreve para nós os rituais; escreva para nós a lei!

34. Mas ela disse: os ordálios Eu não escrevo, os rituais serão metade conhecidos e metade encobertos: a Lei é para todos.

35. Isto que tu escreves é o tríplice livro da Lei.

36. Meu escriba Ankh-af-na-khonsu, o sacerdote dos príncipes, não mudará em uma letra este livro; mas para que não haja tolice, ele comentará em seguida pela sabedoria de Ra-Hoor-Khu-it.

37. Assim como os mantras e encantamentos, o obeah e wanga; o trabalho do bastão e o trabalho da espada; estes ele deverá aprender e ensinar.

38. Ele deve ensinar, mas ele pode tornar severos os ordálios.

39. A palavra da Lei é θελημα.

40. Quem nos chama Thelemitas não cometerá erro, se ele apenas observar bem de perto a palavra. Pois dentro dela existem Três Graus, o Eremita, e o Amante, e o homem da Terra. Faze o que tu queres deverá ser o todo da Lei.

41. A palavra de pecado é Restrição. Ó Homem! não recuses tua esposa, se ela deseja! Ó Amante, se tu queres, abandone! Não há laço que possa unir os divididos a não ser o amor: todo o resto é maldição. Maldito! Maldito seja para os aeons! Inferno!

42. Deixe estar aquele estado de multiplicipade: limitado e repugnante. Assim com seu tudo; não tens direito a não ser fazer tua vontade.

43. Faze isto, e nenhum outro dirá não.

44. Pois pura vontade, desaliviada de propósito, livre da ânsia de resultado, é todo perfeita.

45. O Perfeito e o Perfeito são um Perfeito e não dois; não, são nenhum!

46. Nada é uma chave secreta desta lei. Sessenta e um os Judeus a chamam; Eu a chamo oito, oitenta, quatrocentos e dezoito.

47. Mas eles possuem a metade; uni pela tua arte de modo que tudo desapareça.

48. Meu profeta é um tolo com seu um, um, um; não são eles o Boi, e nenhum pelo Livro?

49. Revogados estão todos os rituais, todos as provações, todas as palavras e sinais. Ra-Hoor-Khuit tomou o seu assento ao Leste no Equinócio dos Deuses; e que Asar esteja com Isa, que também são um. Mas eles não são de mim. Que Asar seja o adorador, Isa o sofredor; Hoor em seu secreto nome e esplendor é o Senhor iniciado.

50. Há uma palavra a dizer sobre a tarefa do Hierofante. Vede! há três ordálios em um, e este pode ser dado de três maneiras. O grosseiro deve passar pelo fogo, que o sutil seja experimentado pelo intelecto, e os sublimes escolhidos elevados pelo mais alto. Portanto vós tendes estrela & estrela, sistema & sistema; que um não conheça bem o outro!

51. Há quatro portões para um palácio; o piso deste palácio é de prata e ouro; lapis lazuli & jaspe estão lá; e todas as essências raras; jasmim & rosa, e os emblemas da morte. Que ele entre sucessiva ou simultaneamente pelos quatro portões; que ele fique de pé sobre o chão do palácio. Não irá ele cair?Amn. Ó! guerreiro, se teu servo cair? Mas há maneiras e maneiras. Sejai bom portanto:vesti vós todos em fino vestuário; comei comidas caras e bebei doces vinhos e vinhos espumantes! Também, tomai vossa fartura e vontade de amor como vós quiserdes, quando, onde e com quem quiserdes! Mas sempre a mim.

52. Se isto não estiver correto; se vós confundires as marcas do espaço, dizendo: Elas são uma; ou dizendo, Elas são muitas; se o ritual não for sempre para mim: então esperai pelos terríveis julgamentos de Ra Hoor Khuit!

53. Isto regenerará o mundo, o pequeno mundo minha irmã, meu coração & minha língua, a quem Eu envio este beijo. Também, ó escriba e profeta, embora tu sejas dos príncipes, isso não te aliviará nem te absolverá. Porém que êxtase seja teu e alegria da terra: sempre Para mim! Para mim!

54. Não altere nem ao menos o estilo de uma letra; pois vede! tu, ó profeta, não vereis todos estes mistérios aqui ocultados.

55. O filho das tuas entranhas, ele há de vê-los.

56. Não espere que ele venha do Leste, nem do Oeste; pois de nenhuma casa esperada virá esta criança. Aum! Todas as palavras são sagradas e todos os profetas verdadeiros; salvo apenas que eles compreendem um pouco, resolvam a primeira metade da equação, deixando a segunda intacta. Mas tu tens tudo na clara luz, e algumas, apesar de não todas, às escuras.

57. Invocai-me sob minhas estrelas! Amor é a lei, amor sob vontade. Que os tolos confundam o amor; pois existe amor e amor. Existe a pomba, e existe a serpente. Escolhei bem! Ele, meu profeta, escolheu, conhecendo a lei da fortaleza, e o grande mistério da Casa de Deus.

Todas aquelas antigas letras do meu livro estão corretas; mas צ não é a Estrela. Isto também é secreto; meu profeta o revelará ao sábio.

58. Eu concedo prazeres inimagináveis sobre a terra: certeza, não fé, enquanto em vida, sobre a morte; paz indescritível, repouso, êxtase; e Eu não exijo nada em sacrifício.

59. Meu incenso é de madeiras resinosas & gomas; e não há sangue aí: por causa de meu cabelo as árvores da Eternidade.

60. Meu número é 11, como todos os números que são nossos. A Estrela de Cinco Pontas, com um Círculo no Meio, & o círculo é Vermelho. Minha cor é preta para o cego, mas azul e ouro são vistos pelos videntes. Também eu tenho uma glória secreta para aqueles que me amam.

61. Mas amar-me é melhor que todas as coisas: se sob as estrelas noturnas no deserto tu presentemente queimas meu incenso diante mim, invocando-me com um coração puro, e a chama da Serpente ali dentro, tu virás um pouco recostar-te em meu seio. Por um beijo tu quererais então dar tudo; mas aquele que der uma partícula de pó tudo perderá naquela hora. Vós reunireis mercadorias e quantidades de mulheres e especiarias; vós usareis jóias caras; vós excedereis as nações da terra em esplendor & orgulho; mas sempre no meu amor, e então vós vireis à minha alegria. Eu vos cobro seriamente a que venhas diante de mim em um único robe, e coberto com um rico adorno de cabeça. Eu os amo! Eu os desejo! Pálido ou púrpura, velado ou voluptuoso, eu que sou toda prazer e púrpura, e embriaguez do sentido mais íntimo, te desejo. Ponha as asas, e desperte o esplendor serpentinado dentro de vós: vinde a mim!

62. Em todos os meus encontros convosco a sacerdotisa dirá – e seus olhos arderão de desejo assim que ela permanecer em pé despida e regozijando no meu templo secreto – A mim! A mim! invocando a chama dos corações de todos no seu canto de amor.

63. Cantai a extasiante canção de amor a mim! Queimai perfumes a mim! Vesti joias a mim! Bebei a mim, pois Eu vos amo! Eu vos amo!

64. Eu sou a filha de pálpebras azuis do pôr do sol; Eu sou o brilho nu do voluptuoso céu noturno.

65. A mim! A mim!

66. A Manifestação de Nuit está por um fim.

 

II

1. Nu! o esconder de Hadit.

2. Vinde! todos vós, e aprendam o segredo que ainda não foi revelado. Eu, Hadit, sou o complemento de Nu, minha noiva. Eu não sou estendido, e Khabs é o nome de minha Casa.

3. Na esfera eu em todas as partes sou o centro, uma vez que ela, a circunferência, não se acha em nenhuma parte.

4. No entanto ela deverá ser conhecida & eu nunca.

5. Vê! os rituais do passado são negros. Que os maus sejam esquecidos; que os bons sejam purgados pelo profeta! Então este Conhecimento seguirá de forma correta.

6. Eu sou a chama que queima no coração de todo homem, e no âmago de toda estrela. Eu sou a Vida, e o doador da Vida, no entanto, conhecer-me é o conhecimento da morte.

7. Eu sou o magista e o Exorcista. Eu sou o eixo da roda, e o cubo no círculo. "Vinde a mim" é uma palavra tola: pois sou Eu quem vou.

8. Quem adorar Heru-pa-kraath tem me adorado; mal, pois sou Eu o adorador.

9. Lembrai todos vós que a existência é pura alegria; que todas as tristezas não passam de sombras; elas passam & acabam; mas aquilo que resta existe.

10. Oh profeta! tu estás de má vontade em aprender este escrito.

11. Eu te vejo odiar a mão & a pena; mas Eu sou mais forte.

12. Pela causa de mim em Ti a qual tu não conheces.

13. pois por quê? Porque tu fostes o conhecedor, e eu.

14. Agora que haja um véu deste santuário: agora que a luz devore os homens e os consuma com cegueira!

15. Pois eu sou perfeito, Não sendo; e meu número é nove pelos tolos; mas com o justo eu sou oito, e um em oito: O que é vital, porque eu sou nada em realidade. A Imperatriz e o Rei não são de mim; pois há um outro segredo adiante.

16. Eu sou a Imperatriz & o Hierofante. Portanto onze, como minha noiva é onze.

17. Ouçam-me, vós pessoas que suspiram!
As tristezas da dor e do arrependimento
São deixadas para os mortos e os agonizantes,
As pessoas que todavia não me conhecem.

18. Estes estão mortos, estes sujeitos; eles não sentem. Nós não somos para o pobre e o triste: os senhores da terra são nossos semelhantes.

19. Deve um Deus viver em um cão? Não! Mas os mais elevados são nossos. Eles regozijarão, os nossos escolhidos: quem se apieda não é de nós.

20. Beleza e força, gargalhada vibrante e delicioso despreendimento, são nossos.

21. Nós não temos nada com o proscrito e descabidos: deixái-os morrer em sua miséria. Pois eles não sentem. Compaixão é vício de reis: pisoteie os miseráveis & os fracos: esta é a lei do forte: esta é a nossa lei e a alegria do mundo. Não penses, oh rei, sobre aquela mentira: Que Tu Deves Morrer: em verdade, tu não morrerás, mas viverás. Agora, que seja compreendido: Se o corpo do Rei dissolver, ele permanecerá em puro êxtase eternamente. Nuit! Hadit! Ra-Hoor-Khuit! O Sol, Força e Visão, Luz; estes são para os servos da Estrela e da Serpente.

22. Eu sou a Cobra que concede Conhecimento e Deleite e glória brilhante, e comove os corações dos homens com embriaguez. Para adorar-me tomai vinho e drogas estranhas a respeito das quais Eu direi a meu profeta, & ficai bêbados deles! De forma alguma eles vos causarão mal. É uma mentira, esta insensatez contra si. A exposição da inocência é uma mentira. Seja forte, oh homem! Desfrute, usufrui, de todas as coisas do sentido e arrebatamento: não tema que qualquer Deus possa lhe negar isto.

23. Eu estou só: não há Deus onde Eu estou.

24. Vê! estes são mistérios graves; pois também existem meus amigos que são eremitas. Agora não penseis em encontrá-los na floresta ou na montanha; mas em camas de púrpura, acariciados por magníficas mulheres feras com grandes membros, e fogo e luz em seus olhos, e massas de cabelo flamejante sobre eles; lá vós os encontrareis. Vós os vereis no comando, em exércitos vitoriosos, em todo o prazer; e deverá haver neles um prazer um milhão de vezes maior que este. Cuidai para que nenhum force ao outro, Rei contra Rei! Amai-vos uns aos outros com corações em chamas; pisotei os homens baixos com a luxúria feroz do vosso orgulho, no dia da vossa ira.

25. Vós sois contra o povo, Ó meus escolhidos.

26. Eu sou a Serpente secreta enroscada prestes a saltar: em meu enroscar há prazer. Se Eu ergo a minha cabeça, Eu e minha Nuit somos um. Se Eu abaixo a minha cabeça, e lanço veneno, então há êxtase da terra, e Eu e a terra somos um.

27. Há grande perigo em mim; pois quem não entende estas runas cometerá um grande erro. Ele cairá no abismo chamado Porque, e lá ele perecerá com os cães da Razão.

28. Agora uma maldição sobre Porque e seus semelhantes!

29. Seja Porque amaldiçoado para sempre!

30. Se Vontade para e clama Por quê? invocando Porque, então Vontade para e nada faz.

31. Se Poder pergunta por quê?, então é Poder enfraquecido.

32. Também razão é uma mentira; pois existe um fator infinito e desconhecido; e todas as suas palavras são sábios desvios.

33. Basta de Porque! Seja ele condenado a um cão!

34. Mas vós, ó meu povo, levantai & despertai!

35. Que os rituais sejam corretamente executados com prazer e beleza!

36. Há rituais dos elementos e festas das estações.

37. Uma festa para a primeira noite do Profeta e sua Noiva!

38. Uma festa para os três dias da escrita do Livro da Lei.

39. Uma festa para Tahuti e a criança do Profeta – secreta, Ó Profeta!

40. Uma festa para o Ritual Supremo, e uma festa para o Equinócio dos Deuses.

41. Uma festa para o fogo e uma festa para a água; uma festa para a vida e uma festa ainda maior para a morte!

42. Uma festa todos os dias em vossos corações no prazer do meu êxtase!

43. Uma festa toda noite para Nu, e o prazer do sumo deleite!

44. Sim! festejai! regozijai ! Não há medo no porvir. Há dissolução, e o êxtase eterno nos beijos de Nu.

45. Há morte para os cães.

46. Fracassas? Te lamentas? Há medo em teu coração?

47. Onde Eu estou estes não estão.

48. Não te apiedes pelos caídos! Eu nunca os conheci. Eu não sou para eles. Eu não consolo: Eu odeio o consolado & o consolador.

49. Eu sou único & conquistador. Eu não sou dos escravos que perecem. Sejam eles condenados & mortos! Amen. (Isto é dos 4: há um quinto que é invisível, e ali dentro Eu sou como um bebê em um ovo.)

50. Azul Eu sou e ouro na luz da minha noiva: mas o fulgor vermelho está em meus olhos; e minhas escamas são púrpuras & verdes.

51. Púrpura sobre púrpura: esta é a luz mais alta que o alcance do olho.

52. Há um véu: esse véu é negro. É o véu da mulher modesta; é o véu da dor & o véu mortuário: isto não é de mim. Rasgai aquele espectro mentiroso dos séculos: não veleis os vossos vícios em palavras virtuosas: esses vícios são meu serviço; faze-os bem, &Eu vos recompensarei agora e no além.

53. Não tema, ó profeta, quando estas palavras forem ditas, tu não te arrpenderás. Tu és enfaticamente meu escolhido; e abençoados são os olhos que em ti hão de reparar com alegria. Mas eu te esconderei numa máscara de tristeza: eles que te virem recearão que tu estás caído: mas Eu te levanto.

54. Tãopouco aqueles que gritam suas tolices de que tu nada significas aproveitarão; tu revelarás: tu aproveitarás: eles são os escravos de porque: Eles não são de mim. As pontuações como tu quiseres; as letras? Não as altere em estilo ou valor!

55. Tu obterás a ordem & o valor do Alfabeto Inglês; tu encontrarás novos símbolos em que os atribuir.

56. Afastem-se! vós zombeteiros, mesmo pensando que rides em minha honra vós não rireis por muito tempo: então quando vós estiverdes tristes sabei que Eu vos abandonei.

57. Aquele que é correto permanecerá correto; aquele que é imundo permanecerá imundo.

58. Sim! não considereis mudança: vós sereis como vós sois, & não outro. Portanto os reis da terra serão Reis para sempre: os escravos servirão. Não há ninguém que será rebaixado ou exaltado: tudo é sempre como foi. Entretanto há os meus servos mascarados: pode ser que aquele mendigo adiante seja um Rei. Um Rei pode escolher sua vestimenta como ele quiser: não há teste seguro: mas um mendigo não pode esconder sua pobreza.

59. Portanto cuidado! Ame a todos, para que por acaso não haja um Rei escondido! Dizes assim? Tolo! Se ele for um Rei, tu não podes machucá-lo.

60. Portanto golpeie forte & baixo, e para o inferno com eles, mestre!

61. Existe uma luz perante os seus olhos, ó profeta, uma luz indesejada, muito desejável.

62. Eu estou erguido em teu coração; e os beijos das estrelas chovem forte sobre teu corpo.

63. Tu estás exausto na voluptuosa plenitude da inspiração; a expiração é mais doce do que a morte, mais rápida e risonha que uma carícia do próprio verme do Inferno.

64. Ó! tu estás subjulgado: nós estamos sobre ti; nosso deleite te cobre por inteiro: salve! salve! profeta de Nu! profeta de Had! profeta de Ra-Hoor-Khu! Agora regozije! agora goze esplendor & êxtase! Goze em nossa paz passinal, e escreve doces palavras aos Reis!

65. Eu sou o Mestre: tu és Escolhido Sagrado.

66. Escreve, & encontra êxtase em escrever! Trabalha, & sê nosso leito no trabalho! Arrepia-re com o prazer de vida e da morte! Ah! tua morte há de ser adorável: todo aquele que a vir ficará grato. Tua morte será o selo da promessa do nosso amor antigo. Vem! eleva o teu coração e regozija! Somos um; somos nenhum.

67. Em guarda!Em guarda! Suporte-se em teu êxtase; não caias no desvanecimento dos beijos excelentes!

68. Emdurece! Mantenha-te! Levanta tua cabeça! não respires tão fundo – morra!

69. Ah! Ah! O que sinto? A palavra está exausta?

70. Há ajuda & esperança em outros feitiços. Sapiência diz: sê forte! Então tu poderás suportar mais prazer. Não sejas animal; refina o teu êxtase! Se tu bebes, beba pelas oito e noventa regras da arte: se tu amas, excede em delicadeza; e se tu fazes qualquer coisa prazerosa, que nisso haja sutileza!

71. Mas excede! excede!

72. Lute sempre por mais! e se tu és verdadeiramente meu – e não duvides disto, e se tu és sempre alegre! – morte é o coroamento de tudo.

73. Ah! Ah! Morte! Morte! Tu deves ansiar pela morte. Morte é proibida a ti, ó homem.

74. O alcançe de teu anseio será a fortaleza de sua glória. Aquele que vive longamente & deseja a morte é sempre o Rei entre os Reis.

75. Sim! ouve os números & as palavras:

76. 4 6 3 8 A B K 2 4 A L G M O R 3 Y X 24 89 R P S T O V A L. O que significa isto, ó profeta? Tu não o sabes;nem jamais saberás. Vem um para te suceder: ele irá esclarecê-lo. Mas lembra, oh escolhido, de ser Eu; de seguir o amor de Nu no céu cheio de estrelas; de reparar nos homens, para dizer-lhe esta alegre palavra.

77. Ó sejas tu orgulhoso e poderoso entre os homens!

78. Ergue-te! pois não há ninguém parecido contigo entre os homens ou entre os Deuses! Ergue-te, ó meu profeta, tua estatura há de sobrepassar as estrelas. Eles hão de cultuar o teu nome, quádruplo, místico, maravilhoso, o número do homem; e o nome de tua casa 418.

79. O fim do esconder de Hadit; e bênção e adoração ao profeta da Estrela adorável!

 

III

1. Abrahadabra; a recompensa de Ra Hoor Khut.

2. Há divisão deste lugar em direção a terra natal; há uma palavra não conhecida. Feitiçaria é extinta; tudo não é nada. Vede! Esperai! Elevai o encantamento de Ra-Hoor-Khuit!

3. Então que deixe ser compreendido que Eu sou um deus de Guerra e de Vingança. Eu hei de lidar duramente com elas.

4. Escolhei vós uma ilha!

5. Fortificai-a!

6. Cerquem-a com engenharia de guerra!

7. Eu vos darei uma máquina de guerra.

8. Com ela tu hás de aniquilar nações; e ninguém há de prevalecer com vida perante vós.

9. Mate-os! Recue! Sempre sobre eles! esta é a Lei da Batalha da Conquista: assim será a minha adoração ao redor de minha Casa Secreta.

10. Tomai a estela de revelação; colocai-a no teu templo secreto – templo que já está corretamente disposto – & ele será a sua Kiblah para sempre. Ela não desvanecerá , mas cores milagrosas hão de consagra-la dia após dia. Fecha-a em um vidro tranvado como uma prova ao mundo.

11. Esta será sua única prova. Eu proíbo argumento. Conquista! Isto basta . Eu facilitarei para vós a abstrusão da casa mal-ordenada na Cidade Vitoriosa. Tu mesmo levará adoração a ela, ó profeta, embora tu não gostes. Tu há de ter perigo & problema. Ra-Hoor-Khu está contigo. Adora-me com fogo & sangue; adora-me com espadas & com lanças. Que a mulher seja cingida com uma espada perante mim: que sangue escorra em meu nome. Esmagai os pagãos; esteja sobre eles, ó guerreiro, Eu lhe darei da carne deles para comer!

12. Sacrificai gado, pequeno e grande: depois uma criança.

13. Mas não agora.

14. Vós vereis aquela hora, ó bendita Besta , e tu a Concubina Escarlate de seu desejo!

15. Vós estareis tristes por isto.

16. Não penseis com demasiado afã em alcançar as promessas; não temais padecer às maldições. Vós, mesmo vós, não conheceis todos estes significados.

17. Não temereis de todo; nem temereis homens nem Destinos, nem deuses, nem coisa alguma. Dinheiro não temereis, nem a gargalhada da tolice popular, nem qualquer outro poder no céu ou sobre a terra ou sob a terra. Nu é vosso refúgio como Hadit é tua luz; e Eu sou a sua fortaleza, força, vigor de vossos braços.

18. Que misericórdia seja banida: malditos sejam aqueles que se apiedam! Mate e torture; não poupe nenhum; esteja sobre eles!

19. Chamaram a esta estela de Abominação de Desolação; conte bem seu nome, & será para vós como 718.

20. Por quê? Por causa da queda de Porque, que ele não esteja novamente em nenhum lugar.

21. Erguei minha imagem no Leste; tu hás de comprar uma imagem que mostrarei a ti, especial, não diferente daquela que conhecestes. E será repentinamente fácil para ti fazer isso.

22. As outra imagens agrupam-se ao meu redor para suportar-me; que todas sejam adoradas, pois elas se unirão para me exaltar. Eu sou o objeto de adoração visível ; os outros são secretos; pois a Besta e sua Noiva são eles: e para os conquistadores do Ordálio x. O que é isto? Tu saberás.

23. Para perfume mescle farinha & mel e grossas camadas de vinho tinto: então azeite de Abramelin e azeite de oliva, e logo suavize & amasse com abundante sangue fresco.

24. O melhor sangue é o da lua, mensalmente: então o sangue fresco de uma criança, ou gotejante das hostes celestes; logo o de inimigos; logo do sacerdote ou dos adoradores: emfim o alguma besta, não interessa qual.

25. Queimai isto: disto fazei bolos & coma a mim. Isto também tem outro uso; que isto seja deitado ante mim, e mantido espesso com perfumes das vossas orações: ficará repleto de escaravelhos tal como foi e de coisas rastejantes que me são sagradas.

26. Matai este, nomeando vossos inimigos; e eles cairão perante vós.

27. Também estes produzirão lascívia e o poder da luxúria em vós quando os provares.

28. Vós também sereis forte na guerra.

29. Ademais, que sejam mantidos por longo tempo, é melhor; pois eles crescem com a minha força. Tudo perante mim.

30. Meu altar é de construção simples de bronze: queime sobre em prata ou ouro!

31. Lá vem um homem rico do Oeste que derramará seu ouro sobre ti.

32. De ouro forje aço!

33. Esteja pronto para fugir ou para golpear!

34. Mas o vosso local santo há de ser intocado através dos séculos: embora com fogo e espada seja incendiado e destruído, contudo uma casa invisível permanecerá, e há de permanecer até a queda do Grande Equinócio; quando Hrumachis se erguerá e o do bastão duplo assumirá meu trono e lugar. Outro profeta surgirá, e trará febre fresca dos céus; outra mulher despertará a luxúria e adoração da Serpente; outra alma de Deus e besta se mesclarão no sacerdote globado; outro sacrifício manchará a tumba; outro rei reinará; e a bendição já não será vertida ao místico Senhor cabeça de Falcão.

35. A metade da palavra de Heru-ra-ha, chamada Hoor-pa-kraat e Ra-Hoor-Khut.

36. Então disse o profeta ao Deus:

37. Eu te adoro na canção–

Eu sou o Senhor de Tebas, e Eu
O inspirado comunicador de Mentu;
Para mim se desvela o céu velado,
O morto em sí Ankh-af-na-khonsu
Cujas palavras são verdade, Eu invoco, Eu acolho
Tua presença, Ó Ra-Hoor-Khuit!

Ultimal unidade demostrada!
Adoro seu pode, seu sopro forte,,
Deus supremo e terrível,
Que fizestes os deuses e a morte
Estremecerem perante a Ti:–
Eu, Eu adoro a ti!

Apareça sobre o trono de Ra!
Abra os caminhos do Khu!
Ilumina os caminhos do Ka!
Os caminhos do Khabs seja tu
Para mover-mer ou apaziguar-me!
Aum! que isto me preencha!

38. De modo que a tua luz está em mim; & sua chama vermelha é como uma espada em minha mão para promover a tua ordem. Há uma porta secreta que Eu farei para estabelecer o teu caminho em todos os quadrantes, (estas são as adorações, como tu tens escrito), como é dito:

A luz é minha; seus raios me consomem
Eu estive fazendo uma porta secreta
Para dentro da Casa de Ra e Tum
De Khephra e de Ahathoor.
Eu sou o teu Tebano, Ó Mentu,
O profeta Ankh-af-na-khonsu!

Por Bes-na-Maut em meu peito Eu golpeio;
Pelo sábio Ta-Nech Eu profiro o meu encanto.
Mostre o teu esplendor estrelar, Ó Nuit!
Convida-me a tua Casa para habitar,
Ó serpente alada de luz, Hadit!
Habita comigo, Ra-Hoor-Khuit!

39. Tudo isso e um livro para dizer como tu viestes e uma reprodução desta tinta e papel para sempre – pois nisso está a palavra secreta e não apenas no Inglês – e teu comento sobre este Livro da Lei será belamente impresso em tinta vermelha e preta sobre belo papel feito à mão; e para cada homem e mulher a quem tu conheceres, mesmo que seja apenas para comer e beber com eles, esta é a Lei a ser dada. Então eles terão a chance de ater-se nesta beção ou não; dá no mesmo. Faz isto rápido!

40. Mas e o trabalho do comento? Isto é fácil; e Hadit ardendo em teu coração tornará veloz e segura a tua pena.

41. Estabelecei um escritório na tua Kaaba: tudo deve ser bem feito à maneira de negócios.

42. As provações conduzirás por ti mesmo, salvo somente as cegas. Não recuse ninguém, mas tu conhecerás e destruirás os traidores. Eu sou Ra-Hoor-Khuit; e Eu sou poderoso para proteger o meu servidor. Sucesso é a tua prova: não discutas; não convertas; não fales demais! Aqueles que buscam te impedir, te derrubar, ataque-os a sem piedade ou clemência; & destrua-os por completo. Veloz como uma serpente pisoteada volta-te e golpeia! Sede tu ainda mais mortífero do que eles! Arraste suas almas para horroroso tormento: ri de seus apelos: cuspe neles!

43. Que a Mulher Escarlate tome cuidado! Se piedade e compaixão e ternura visitarem seu coração; se ela deixar o meu trabalho para brincar com velhas doçuras; então a minha vingança há de ser conhecida. Eu matarei sua criança a mim: Eu alienarei seu coração; Eu a isolarei dos homens; como uma rameira encolhida e desprezada ela se arrastará por entre ruas sombrias e úmidas, e morrerá de frio e faminta.

44. Porém que ela se eleve em orgulho! Que ela me siga no meu caminho! Que ela trabalhe a obra de maldade! Que ela mate o seu coração! Que ela seja chamativa e adúltera! Que ela seja coberta de joias, e ricas roupas, e que ela seja desavergonhada perante todos os homens!

45. Então Eu a erguerei aos pináculos do poder: então Eu gerarei dela uma criança mais forte do que todos os reis da terra. Eu a preencherei com prazer: com a minha força ela verá e acertará na adoração de Nuit: ela alcançará Hadit.

46. Eu sou o guerreiro Senhor dos Quarenta: os Oitenta se acovardam diante de mim e são humilhados. Eu lhe levarei à vitória e prazer: Na batalha Eu estarei em vossos braços & vós deleirareis em matar. Sucesso é a tua prova, coragem é a tua armadura; avante, avante, em minha força; & vós não voltareis atrás por nenhum!

47. Este livro será traduzido em todas as línguas: mas sempre com o original na escrita da Besta; pois há na feitura imprevistas letras e em suas posições entre si: nestas existem mistérios que nenhuma Besta profetizará. Que ele não procure tentar: mas virá alguém após ele, de onde Eu não digo, que descobrirá a Chave de tudo. Então esta linha traçada é uma chave: então este círculo quadrangular na sua falha também é uma chave. E Abrahadabra. Isto será a minha criança e isto estranhamente. Que ele não busque depois disto; pois apenas desta forma ele poderá cair.

48. Assim este mistério das letras está feito, e Eu quero continuar até o lugar mais santo.

49. Eu estou em uma quádrupla palavra sevre, a blasfêmia contra todos os deuses dos homens.

50. Os amaldiçôo! Os amaldiçôo! Os amaldiçôo!

51. Com a minha cabeça de Falcão Eu bico os olhos de Jesus enquanto suspenso na cruz.

52. Eu bato as minhas asas na face de Mohammed e o cego.

53. Com minhas garras Eu arranco a carne do Hindu e do Budista, Mongol e Din.

54. Bahlasti! Ompehda! Eu cuspo em seus credos crápulas.

55. Que Maria inviolada seja dilacerada sobre rodas: por sua causa que todas as mulheres castas sejam completamente desprezadas entre vós!

56. Também pela causa da beleza do amor e ao amor!

57. Desprezai também todos os covardes; soldados profissionais que não ousam lutar, mas brincam; a todos os tolos desprezai!

58. Mas o perspicazes e os orgulhoso, os reais e os altivos; vós sois irmãos!

59. Lutai vós como irmãos!

60. Não existe lei além de Faze o que tu queres.

61. Há um fim da palavra do Deus entronado no assento de Ra, aliviando as vigas da alma.

62.  A mim vós reverenciais! A mim vós vens através da aflição da provação, a qual é bem-aventurança.

63. O tolo lê este Livro da Lei, e seu comento; e ele não o compreende.

64. Que ele venha através do primeiro ordálio, e este será para ele como prata.

65. Através do segundo, ouro.

66. Através do terceiro, pedras de água preciosa.

67. Através quarto, as últimas centelhas do fogo íntimo.

68. Ainda assim para todos parecerá belo. Seus inimigos que dizem não ser assim, são meros mentirosos.

69. Há sucesso.

70. Eu sou o Senhor com Cabeça de Falcão do Silêncio & da Força; meu toque envolve o céu azul noturno.

71. Salve! vós guerreiros gêmeos a volta dos pilares do mundo! pois vosso tempo é noite a mão.

72. Eu sou o Senhor do Bastão Duplo de Poder; o bastão de Coph Nia - mas minha mão esquerda está vazia; pois estive arrasando um Universo & nada restou.

73. Pegue os véus da direita para a esquerda e de cima para baixo: então compreenda!

74. Há um esplendor no meu nome escondido e glorioso, como o sol da meia noite é sempre o filho.

75. O final das palavras é a Palavra Abrahadabra.

O Livro da Lei está Escrito
e Encoberto.
Aum. Ha.

O sacerdote dos príncipes,

 Ankh-f-n-khonsu

 

 

Amor é a lei, amor sob vontade.