Menu

Faze o que tu queres serÁ o todo da Lei.

156 HINOS A DEUSA

 

IN NOMINE BABALON

ADORAÇÕES A DEUSA ESCARLATE

 

 

   
 

Publicado originalmente em Edição Limitada em 22 de Agosto 2011 era vulgara Sol in Leo Luna in Gemini IV:xix. Traduzido para a lingua portuguesa pela Serpente Secreta em 2015.

 

Escrito anonimamente a mando de Nossa Senhora da Taça de Sangue

 

 

CLVI ADORAÇÕES

 

I

To the Lady of Life do I sing this praise Of worship and love to the end of my days! Let all open ears hear my acclamation, I raise up the cup and adore Babalon!

 

Para a Senhora da Vida eu canto este louvor De adoração e amor até ao fim dos meus dias! Que todos os ouvidos abertos escutem a minha aclamação, A levantar a taça e adorar Babalon!

II

Even the juggler spinning his arte Knows that the secret is found in the heart! The magick he weaves is a grand illusion, I raise up the cup and adore Babalon!

 

Mesmo o malabarista girando sua arte Sabe que o segredo é encontrado no coração! A magia que tece é uma grande ilusão, A levantar a taça e adorar Babalon!

III

I wish to be lost in Your mysteries deep;
Within Your embrace, I fall fast asleep.
Your great black sea I am floating upon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Desejo estar perdido em seus profundos mistérios;
Envolto em seu abraço, eu caio em sono profundo.
Seu grande mar negro, eu estou flutuando em cima,
A levantar a taça e adorar Babalon!

IV

Benevolent king with the power of four
Jupiter reigns o’er the rich and the poor.
Grant us compassion, o merciful Kwan,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Rei benevolente com o poder de quatro
Júpiter reina sobre os ricos e os pobres.
Dai-nos a compaixão, o misericordioso Kwan,
A levantar a taça e adorar Babalon!

V

Thou goddess who pours out the life of the stars
And kneels by the water with Your golden jars
From which flows the life that You have just drawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu deusa que derrama a vida das estrelas
E ajoelha-se pela água com seus potes de ouro
De onde nasce a vida que você acabou de desenhar,
A levantar a taça e adorar Babalon!

VI

The hierophant’s words are the prophet’s, forsooth;
His voice in the silence is whispering truth!
With the masks of the cherubs all looking on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

As palavras do Hierofante são do profeta, em verdade;
Sua voz no silêncio está sussurrando verdade!
Com as máscaras dos querubins olhando tudo,
A levantar a taça e adorar Babalon!

VII

Thou virgin so pure, it is Thee I adore,
Thou art seven in one and one in four!
O mother of nature, I thee call upon;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu, virgem tão pura, esta é minha adoração,
Tu és sete em um e um em quatro!
Ó mãe da natureza, eu lhe invoco;
Ao levantar a taça e adorar Babalon!

VII

Oh lady who closes the mouth of the beast,
The might of the lion subdued by the least;
Overpowered by love and not coercion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Oh senhora que fecha a boca da besta,
O poder do leão subjugado pelo menos;
Dominado pelo amor e não por coerção!
A levantar a taça e adorar Babalon!

IX

As the moon reflects the light of the sun,
We also reflect the light of the One!
As each of our stars forever shines on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

À medida que a lua reflete a luz do sol,
Nós também refletimos a luz do Uno!
Como cada uma das nossas estrelas brilham eternamente,
Eu levanto a taça e adoro Babalon!

X

Thou art one earth, the mother of all!
Thou art the womb from where man did first crawl
And where he returns when his life is gone!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és uma terra, a mãe de todos!
Tu és o útero de onde o homem inicialmente engatinhou
E onde ele retorna quando sua vida se foi!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XI

Lady of lust on the back of the Beast,
The lion, the serpent, the star of the east
Rising and shining new light on Zion;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Senhora da luxúria no lombo da besta,
O leão, a serpente, a estrela do oriente
Crescente e brilhando nova luz sobre Zion;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XII

O Babalon! Babalon! Thou mighty mother
That ridest upon the crowned Beast and no other!
Drunk on the wine of Your fornication,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Ó Babalon! Babalon! Tu, poderosa mãe
Que viajas sobre a besta coroada e não em outra!
Bêbada sobre o vinho de sua fornicação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XIII

Oh Thou who art unity sent from above
To redeem the fallen with Your perfect love!
They shall be pure as the newly born fawn;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Oh Tu que és a unidade enviada pelo céu
Para resgatar o caído com Seu amor perfeito!
Deve ser puro como a corça recém-nascida;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XIV

Thou art the hermit alone on the peak
And also the adept who climbs up to seek
The wisdom of sages and their reflection.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és o eremita sozinho no pico
E também o adepto que sobe para buscar
A sabedoria dos sábios e sua reflexão.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XV

The seed and the root and the leaf and the bud
Will flower and fruit by the grace of Thy blood
That is drawn from the earth in transmutation.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A semente e a raiz e a folha e o broto
Thelema em flores e frutos pela graça de teu sangue
Que é retirado da terra em transmutação.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XVI

Glory to Babalon! Glory to She
Who guards the Abyss from Her mystical sea!
The grace of Her splendor deservedly won,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Glória a Babalon! Glória a Ela
Quem guarda o Abismo de seu mar místico!
A graça do Seu esplendor merecidamente ganhou,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XVII

Thou dressed in purple, Thou dressed in scarlet,
O Thou precious jewel and gold bedecked harlot,
Thy golden cup filled with abomination;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu vestida de púrpura, Tu vestida de escarlate,
Ó jóia preciosa e adornada prostituta dourada,
Teu cálice de ouro cheio com abominação;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XVIII

The charioteer in his armor of gold
Drawn without reins by the sphinxes four-fold!
Blazing in glory, the sign of the sun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O auriga em sua armadura de ouro
Desenhado sem rédeas pelas quatro vezes esfinges!
Ardência na glória, o signo do sol,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XIX

The incense is smoking, the candles are lit
As I bend down to kiss the forefinger of IT
And pray at the altar You’re seated upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O incenso esfuma, as velas são acesas
Como curvar-se para beijar o dedo indicador da "IT"
E rezar no altar onde a pura está sentada em cima!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XX

Time ticking on like the hands of a clock
Calls forth the god with the head of a hawk!
The aeon of fire will rain down upon;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tempo passando sobre como mãos de um relógio
Evoco o deus cabeça de falcão!
O Aeon de fogo irá chover acima;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXI

Lady of night with Your serpent You dance,
Entwining me into a mystical trance.
Your voice singing sweetly, a siren wanton;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Senhora da noite com sua serpente você dança,
Me entrelaçando em um transe místico.
A sua voz cantando docemente, uma devassa sirene;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXII

Oh virgin who sits in Her garden of wheat
With the shield of the Empress set at Her feet,
The form of the double-head eagle thereon;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Oh virgem que se senta em seu jardim de trigo
Com o escudo da Imperatriz em seus pés,
A forma da águia de dupla cabeça nele;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXIII

The stillness of water, a lullaby sung;
The truth is inverted and motionless hung
On the cross of the dying god’s crucifixion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A quietude da água, uma canção de ninar cantada;
A verdade é invertida e imóvel o pendurado
Na cruz da crucificação do deus morrendo!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXIV

Not on the mountain and not in the forest,
Her hermits are Kings and not of the poorest.
Soft beds of purple do they lie upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Nem na montanha e nem na floresta,
Seus eremitas são reis e não dos mais pobres.
Em macias camas púrpura eles se encontram!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXV

Exposing the old lies told by the priest,
She’s promulgating the Age of the Beast -
The great lion-serpent She’s riding upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Expondo as velhas mentiras contadas pelo sacerdote,
Ela está promulgando a Era da Besta -
O grande leão-serpente que ela está montando em cima!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXVI

In temples they’re blowing the horn of the ram
As black brothers prepare to slaughter the lamb;
Submitting to death as they smear the pylon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Nos templos estão soprando o chifre do carneiro
Irmãos negros se preparam para abater o cordeiro;
Submeter-se a morte como eles mancham os pilares!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXVII

The children of Horus will dance in the street
When old ways have died and become obsolete!
Enslavement of nations forever withdrawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Os filhos de Horus irão dançar livremente, pelas ruas
Quando os caminhos antigos morrerem e fazer-se obsoletos!
Escravização de nações para sempre abolida,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXVIII

Love one another, love without shame!
Unite with each other in Her holy name!
Feeling the serpent in its ascension,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Ameis uns aos outros, não há vergonha neste amor!
Una-se com os outros em Seu santo nome!
Sentindo a serpente em sua ascensão,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXIX

Teach me Your secrets, Your mysteries deep,
As I lie down between the two towers to sleep
And Khephra creeps up towards the east horizon.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Ensina-me seus segredos, seus mistérios profundos,
Como deitar entre as duas torres para dormir
E Khephra arrastar-se em direção ao horizonte do leste.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXX

Like children we dance amongst earthly delight,
With the sun up above giving life, giving light!
Morning dew sparkles like diamonds at dawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Como crianças que dançam envoltos em prazeres terrestres,
Com o sol lacima dando vida, dando luz!
O orvalho da manhã brilha como diamantes ao amanhecer,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXI

The heroic quest of the fool of God
As he reaches toward light with his golden rod,
The Way of the Mystic he’s treading upon.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A busca heróica do tolo de Deus
Ele avança em direção à luz com a sua vara de ouro,
O Caminho do místico ele está trilhando.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXII

O harlot! O whore! O Thou without shame,
Illuminate me with Thy mystical flame!
Thy seal on my heart will be burnt upon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Ó meretriz! O prostituta! Ó Tu, sem vergonha,
Ilumina-me com a Tua chama mística!
Teu selo sobre o meu coração será queimado,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXIII

In the aftermath of the dying god,
Natural law will succeed the synod
Revealing the glory of Revelation;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

No rescaldo do deus moribundo,
A lei natural sucederá o sínodo
Revelando a glória da Revelação;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXIV

In Her love chant She is calling to all -
The beast and the man, the great and the small.
Listen within and you will hear Her beckon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Em seu canto de amor Ela está chamando a todos -
O animal e o homem, o grande e o pequeno.
Ouça internamente e irá ouvi-la acenar!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXV

I invoke Your name as I face to the west
And drink the amrita that drips from Your breast.
The milk of the stars will I feed upon
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu invoco o seu nome como eu encaro o oeste
E bebo o Amrita que escorre de seu peito.
O leite das estrelas é o alimento.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXVI

Anoint me with oil of galangal and myrrh
And oil of olives kept virgin and pure
With the fiery spirit of cinnamon;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Unge-me com óleo de galanga e mirra
E azeite de oliva mantido puro e virgem
Com o espírito ardente da canela;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXVII

The sun’s own flame burning inside Your heart
With the fiery malice of Hades’ black art;
Belching out liquid fire, a tide of crimson!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Do sol a própria chama arde dentro de seu coração
Com a malícia de fogo da arte negra de Hades;
Expelindo fogo líquido, uma maré carmesim!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXVIII

Myst’ry of myst’ry Thou goddess divine!
Anoint me with blood as I kneel at Your shrine!
Bless me with the weapon of Avalon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Mistério do Mistério, Tu deusa divina!
Unge-me com sangue, quandome ajoelhar em seu santuário!
Abençoe-me com a arma de Avalon,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XXXIX

Consummate love in the sphere of the sun
As we ascend to the light of the One!
There we will burn away all illusion.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Amor consumado na esfera do sol
À medida que ascendermos a luz do Uno!
Vamos queimar toda ilusão.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XL

Hear the charge of the Goddess, “To me! To me!”
As She beckons to those who wish to be free;
Calling Her children from hither and yon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Ouça o chamado da Deusa: "Para mim! Para mim! "
Como Ela acena para aqueles que desejam ser livres;
Chamando crianças de lá e para cá!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLI

Mother of nature and womb of all life,
Everyone’s lover but nobody’s wife!
Thou virgin! Thou whore! Thou elder matron!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Mãe da natureza e útero de toda a vida,
Amante de todos, mas esposa de ninguém!
Tu virgem! Tu puta! Tu matrona ancestral!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLII

Comfort me Mother, enfold me in bliss,
Destroy me and keep me from that black Abyss
And from the deceiving tongue of Choronzon
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Conforte-me Mãe, envolvê-me em êxtase,
Destrua-me, estando comigo no Abismo Negro
E na língua enganadora de Choronzon
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLIII

Let all hail the cult of the Ruby Star
Whose temples are scented with cinnabar,
We dance in the bliss of a new religion;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Vamos todos saudar o culto do Estrela Rubi
Cujos templos são perfumadas com cinábrio,
Nós dançamos na felicidade de uma nova religião;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLIV

Embrace me! Enshrine me in infinite love
By the glory and grace of the descending dove!
As the Conquering Child declares his Aeon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Abrace-me! Consagrar-me no amor infinito
Pela glória e graça da pomba, a descer!
A Criança Conquistadora declara seu Aeon,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLV

The perfect and perfect are one and not two!
Indeed they are nothing, according to Nu
Who arches Her body to each horizon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O perfeito e perfeito são um perfeito e não dois!
Na verdade, eles não são nada, de acordo com Nu
Quem arqueia o corpo em todos os horizontes!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLVI

O be thou mighty and proud among men!
Thy stature shall rise to the top of the ten -
The sigil of Baphomet there written on;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O sê poderoso e orgulhoso entre os homens!
Tua estatura ascender ao topo das dez -
O sigilo de Baphomet lá inscrito;
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLVII

We exceed all in our splendor and pride,
For we are the Kings and have nothing to hide
From the agents of folly and their corruption!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Nós excedemos tudo em nosso esplendor e orgulho,
Porque nós somos os reis e sem nada esconder
Dos agentes da loucura e sua corrupção!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XLVIII

Now let the woman be girt with a sword,
She bows down to no man, submits to no lord!
Her strength is her armor, her father the sun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Agora deixe a mulher esteja cingida com uma espada,
Não se curva perante homem algum, não a nenhum senhor!
Sua força é sua armadura, seu pai o sol,
A levantar a taça e adorar Babalon!

IL

Thou art voluptuous, O Scarlet Flower,
Blossoming under the lightning-struck tower
That falls into ruin in Armageddon
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és voluptuosa, ó Flor Escarlate,
Florescendo sob a torre atingida por um raio
Caindo em ruínas no Armagedom
A levantar a taça e adorar Babalon!

L

I drink from Your cup ‘til my very last breath;
Your sting, like the scorpion, bringing sweet death.
On my tomb shall Your seal be written upon
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu bebo seu copo até meu último suspiro;
Sua picada, como de um escorpião, trazendo a morte docemente.
No meu túmulo será seu selo cravado
A levantar a taça e adorar Babalon!

LI

I feel so much love that it causes me pain.
The orgasmic rapture as my heart is slain,
Your holy altar, I pour my blood on
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu sinto tanto amor que me causa dor.
O êxtase do orgasmo é como a morte em meu coração,
Seu santo altar, derramarei o meu sangue lá
A levantar a taça e adorar Babalon!

LIII

Wanton and lustful, the Lord’s concubine,
You give yourself freely to heathen and swine!
Even as Titania loves Oberon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Devassa e lascivo, concubina do Senhor,
Você se dá livremente a pagãos e suínos!
Mesmo como Titania ama Oberon,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LIV

Armed with a chalice and magickal wand,
A sword and a disc to help seal the bond.
As I call You forth in my invocation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Armado com um cálice e o mágicko bastão,
Uma espada e um disco para ajudar a selar o vínculo.
Eu chamo por ti aqui na minha invocação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LV

Keep silent but dare to will and to know,
For only by this will you learn how to go!
The Sphinx lays the groundwork that you build upon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Manter silêncio, mas atrever a querer e saber,
Apenas deste modo irá aprender a ir!
A Esfinge estabelece as bases para você construir,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LVI

Arouse the splendor and put on the wings
For to love Her surpasses all things
As the priestess chants her incantation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Desperte o esplendor e coloque as asas
Para amá-la exceda todas as coisas
Como a sacerdotisa canta seu encantamento,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LVII

My altar prepared with the sigil of Dee,
I ready my temple to call upon Thee!
The language of angels, my invocation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Meu altar preparado com o sigilo de Dee,
Estou pronto em meu templo para chamar a Ti!
Na língua dos anjos é minha invocação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LVIII

I sing out my love for the harlot divine
Accepting Your grace with baptism of wine!
By Isis, Osiris and Apophis-Typhon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu canto o meu amor pela divina prostituta
Aceitando sua graça com o batismo de vinho!
Por Ísis, Osíris e Apophis-Typhon,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LIX

I call to the God of Force and Fire
To ignite the spark of my lady’s desire
And to fan the flames of my burning passion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu chamo ao Deus da Força e do Fogo
Para acender a chama do desejo de minha senhora
E para atiçar as chamas da minha ardente paixão!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LX

Live life without shame, live life without guilt,
For there is no law beyond Do What Thou Wilt!
With no fear of sin or of inquisition,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Viva a vida sem vergonha, viva a vida sem culpa alguma,
Pois não há lei além de Faze o que tu queres!
Sem medo do pecado ou da inquisição,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXI

This is the Truth, verily, this is the Truth!
Unto thee shall be granted joy, wealth and youth
If thou concedeth to dissipation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Esta é a verdade, em verdade, esta é a verdade!
A ti será concedido alegria, riqueza e juventude
Se em ti conceder a dissipação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXII

Sit in the dark, watch the candle-flame flicker,
I sip from Your cup and taste of Your liquor.
Feeling the heady intoxication,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Sente-se no escuro, observe a cintilação da chama da vela,
Um gole do seu copo e sabor da sua bebida.
Sentindo a intoxicação inebriante,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXIII

Thou art the mother, the sister, the whore,
Thou who art life, Thee! Thee I adore!
Thou art most beautiful, o scarlet woman,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és a mãe, a irmã, a prostituta,
Tu que és a vida, a Ti! Te adoro!
Tu és a mais bela, o mulher escarlate,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXIV

Thou goddess of all life, pregnant from birth,
The mother of every creature on earth
And the dance of every constellation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu, deusa de toda a vida, grávida desde o nascimento,
A mãe de todas as criaturas na terra
E a dança de cada constelação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXV

Love under the stars, I am taking my fill!
As Adonai guides me to my True Will
And my Angel’s Knowledge and Conversation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Amor sob as estrelas, que isto me complete!
Como Adonai orienta a minha Verdadeira Vontade
Meu anjo de Conhecimento e Conversação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXVI

Seven are the heads of the Beast that She rides!
Concealed, Her star in the firmament hides
The mystery of Her initiation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Sete são as cabeças da besta que ela monta!
Oculto, Sua estrela no firmamento dos couros
O mistério da Sua iniciação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXVII

Understanding art Thou, the Sea of Binah;
The sacred black mystery of Your kiblah!
Savoring the waters of oblivion,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Compreender com tu o Mar de Binah;
O mistério negro sagrado de sua kiblah!
Saboreando as águas do esquecimento,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXVIII

I pour my life into Your golden chalice,
I pour out my life for the promise of bliss.
Drink every drop of the elixir You’ve drawn
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu derramo a minha vida em seu cálice dourado,
Eu derramarei a minha vida para a promessa de felicidade.
Beba cada gota do elixir você mesma criou
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXIX

Your skin alabaster, Your hair is aflame,
In passionate orgy I call out Your name;
Entangled in sexual bliss until dawn
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Sua pele acetinada, seu cabelo em chamas,
Na apaixonada orgia eu chamo o seu nome;
Enredada em êxtase sexual até o amanhecer
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXX

I reel from Your wine, my face becomes ashen;
Abiding alone, its name is compassion.
Curse the black brothers and their delusion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O molinete de seu vinho, meu rosto fica pálido;
Permanecendo sozinho, o seu nome é a compaixão.
Amaldiçoando os irmãos negros e sua ilusão!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXI

The gateway is open, the guardians called;
The vision bewilders and holds me enthralled!
The image is difficult to look upon.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A porta de entrada é aberta, os guardiões chamados;
A visão confunde e prende me encantado!
A imagem é difícil de se olhar.
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXII

I call upon Thee, Guardian of the Abyss,
Whose secrets are kept by the sacred ibis
And sealed by the magick of King Solomon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Invocando-lhe, Guardião do Abismo,
Cujos segredos são guardados pelo ibis sagrado
E selado pela magia do rei Salomão!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXIII

From the sum of existence, the body of Nu,
Comes the seat of Wisdom, the mystical two.
The yod is the seed of divine redemption!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A partir da soma da existência, o corpo de Nu,
Vem a sede por Sabedoria, os dois místicos.
O yod é a semente da redenção divina!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXIV

The scales are in balance, the feather of Maat
Reverses the order and All becomes Naught!
The ox with his goad shall be driven on;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

As escalas estão balanceadas, a pena de Maat
Inverte a ordem e tudo se torna Nada!
O boi com seu aguilhão é empurrado;
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXV

I call on my angel to show me the light,
The essence of Chaos to lend me its might
To bear all the ecstasy You lay upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Apelo a meu anjo para me mostrar a luz,
A essência do caos para me emprestar sua força
Para suportar todo o êxtase de você em mim!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXVI

Hecate, Artemis, Kali, Isis,
Gaea, Diana, Ishtar and Eris,
Demeter and Nemesis I call upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Hecate, Artemis, Kali, Ísis,
Gaea, Diana, Ishtar e Eris,
Deméter e Nemesis Eu Invoco!
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXVII

Seven and seventy droplets of dew
And seven plus seven by seven are two,
Plus seventy-seven reflecting the dawn;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Sete e setenta gotas de orvalho
E sete mais sete por sete são dois,
Além disso, setenta e sete refletindo o amanhecer;
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXVIII

O Lady of Earth, Your name I exalt,
For You are the life, the bread and the salt!
I extol the beauty of Your creation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O Senhora da Terra, seu nome Eu exalto,
Pois tu és a vida, o pão e o sal!
Eu exalto a beleza de sua criação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXX

Isis is veiled as she sits on her throne
Her mysteries hide the philosopher’s stone.
She holds in her lap the Tarot canon.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Isis é velada enquanto se senta em seu trono
Seus mistérios escondem a pedra filosofal.
Ela segura no colo o cânone Tarot.
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXI

The birds in the sky flying over the trees,
Spreading their wings, each one glides on the breeze!
Your breath is the wind that carries them on;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Os pássaros no céu voando sobre árvores,
Espalhando suas asas, cada uma desliza sobre a brisa!
Sua respiração é o vento que os transporta;
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXII

Holy and Holy and Holy art Thou!
Thou art the aleph and also the tau!
Ecstatic we dance lost in sweet abandon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Santo e Santo e Santo és tu!
Tu és o aleph e também a tau!
Eufóricos dançamos perdidos no doce abandono,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXIII

Droplets of water, like tinkling bells,
Fall from the cup of the Princess of Shells.
From mellifluous depths is her liquor drawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Gotículas de água, como sinos tilintando,
Queda do copo da princesa de Conchas.
De profundezas melífluas é seu licor preparado,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXIV

I open my eyes and awaken from sleep
And shatter the dream that has held me so deep.
It all fades away in disillusion,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Abro os olhos e desperto do sono
E destruo o sonho que tão profundamente me segurou.
Tudo desaparece em desilusão,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXV

An end to the reign of the self-crowned fraud
Whose deceit is destroyed with the House of God!
As the aeon surrenders to its destruction,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Um fim ao reinado da fraude auto-coroada
Cuja falsidade é destruída com a Casa de Deus!
Como o aeon se rende à sua destruição,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXVI

Those who are selfish cannot understand
The mystery of the gold cup in Your hand.
From Your holy kisses they have withdrawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Aqueles que são egoístas não podem entender
O mistério da taça de ouro em sua mão.
De seus santos beijos eles abnegaram,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXVII

The servants of slave gods are down on their knees;
Bahlasti! Ompehda! I spit upon these!
While they await battles from visions by John,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Os servos de deuses escravos estão de joelhos;
Bahlasti! Ompehda! Eu cuspo sobre estes!
Enquanto eles aguardam as batalhas de visões de João,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXVIII

The taste of Your nectar is sweet on my lips,
Shrouding my soul in a lunar eclipse.
The darkening shadow a Stygian swan,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O gosto de seu néctar é doce em meus lábios,
Encobrindo a minha alma em um eclipse lunar.
O escurecimento sombra um cisne Stygian,
A levantar a taça e adorar Babalon!

LXXXIX

Each of the worlds sacred truths is but half;
From mighty Jehovah to the golden calf,
The gospel of Jesus or Holy Quran.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Mundos de verdades sagradas é apenas metade;
Do poderoso Jeová para o bezerro de ouro,
O evangelho de Jesus ou Sagrado Alcorão.
A levantar a taça e adorar Babalon!

XC

It is from Your water that all form is cast
For You are the first, as well as the last!
O great Mother of Abomination,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

É a partir de sua água toda forma é moldada
Pois tu és o primeiro, assim como o último!
Ó grande Mãe da Abominação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCI

‘Tis Thy virgin daughter so lovely and fair,
The light of the Lord is her golden hair!
With legions of angels all looking on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tua filha virgem tão linda e justa,
A luz do Senhor é seu cabelo dourado!
Com legiões de anjos todos olhando,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCII

My head in the heavens, my feet below hell;
Your love flowing through me, I’m under Your spell!
Your magickal energy flows on and on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Minha cabeça nos céus, meus pés abaixo do inferno;
Seu amor flui através de mim, eu estou sob seu feitiço!
Flui sua energia mágicka sobre e mais adiante,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCIII

The word of the Law equals ninety and three,
The word by which mankind will someday be free
Of the chains of slavery and oppression!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A palavra da Lei é igual a noventa e três,
A palavra pela qual a humanidade um dia se tornará livre
Das correntes da escravidão e opressão!
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCIV

Nearing its end, Christianity lurches,
Unable to maintain the lies of the churches.
As the new age reveals the unholy con,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Chegando ao fim, o Cristianismo cambaleia,
Incapaz de manter as mentiras das igrejas.
Como a nova idade revela a profanação,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCV

The queen on her throne by the waters so still,
The unbroken surface reflecting her will.
Peaceful and tranquil is her illusion,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A rainha em seu trono pelas águas tão quieta,
A superfície lisa que reflete sua vontade.
Sereno e tranquilo é a sua ilusão,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCVI

Thou gate of all life who art mother to all
Giving Your essence to those who do call.
Your love fortified by the light of the sun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu, portal de toda a vida, és mãe para todos
Dando a seu essência para aqueles que fazem chamar.
Seu amor fortalecido pela luz do sol,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCVII

The sweet smell roses, of jasmine and myrrh,
The fragrance of lilac reminds me of Her!
In Her garden I am a frolicking faun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O cheiro doce de rosas, de jasmim e mirra,
A fragrância de lavanda me faz lembrar dela!
Em seu jardim sou um fauno brincando,
A levantar a taça e adorar Babalon!

XCVIII

The blinding white light of the glorious Crown
Flashes from the top of the tree on down
To the daughter awaiting her consummation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A luz branca ofuscante da gloriosa Coroa
Flashes do topo da árvore para baixo
Para a filha aguardando sua consumação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

IC

We pass from this life and dissolve into naught
And our hearts are weighed with the feather of Maat.
Escort me to your eternal mansion;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Passamos desta vida dissolvidos em nada
Nossos corações têm o peso da pena de Maat.
Escolte-me para a sua mansão eterna;
Pois ergo a taça em sua adoração, Babalon!

C

The wheels of the universe spinning around,
From tiniest matter to pure spirit crowned!
From great galaxies to the unseen neuron!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

As rodas do universo girando ao redor,
Da matéria mais ínfima ao puro espírito coroado!
De grandes galáxias para o neurônio invisível!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CI

Thou art Malkah and Betulah and Kore!
Thou art Aphrodite, Thou art Hathor!
Thou art Inanna and Thou art Turan,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és Malkah e Betulah e Kore!
Tu és Afrodite, Tu és Hathor!
Tu és Inanna e Tu és Turan,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CII

Your love is pure light from without and within,
Free me from restriction, the bondage of sin.
The blood is the life I will drink till it’s gone!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Seu amor é pura luz por fora e por dentro,
Liberte-me de restrição, da escravidão do pecado.
O sangue é a vida que eu vou beber até que se vá!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CIII

Without You I’m empty, I’m only a shell.
Give me sweet life, let me drink from Your well;
Guard and protect me all night until dawn!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Sem você eu sou vazio, eu sou apenas uma concha.
Dá-me a doce vida, deixe-me beber de seu bem;
Guarda e protege-me durante toda a noite até o amanhecer!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CIV

The kings of the earth shall be kings forever!
The strong ones shall rule and the weak shall never.
From the sign of the ram does the Emperor look on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Os reis da terra serão Reis para sempre!
Os fortes devem governar e jamais terá fracos.
A partir do sinal o carneiro que o Imperador olhará,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CV

While the goat-headed god plays a hymn on his flute,
I lie down at the feet of the prostitute.
She stands on the altar, rejoicing thereon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Enquanto o deus com cabeça de bode toca um hino em sua flauta,
Deito-me aos pés da prostituta.
Ela fica no altar, regozijando-se,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CVI

Bringing relief from the sickle of death
And the reign of the Kingdom of Nazareth;
Planting the seed of new hope for Zion.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Trazendo alívio da foice da morte
E o reinado do Reino de Nazaré;
Plantando a semente de uma nova esperança para Zion.
A levantar a taça e adorar Babalon!

CVII

Misunderstood and reviled by some
To whom divine truth is but opium.
While the priest threatens hell and Armageddon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Incompreendida e ultrajada por alguns
Para quem é a verdade divina, mas ópio.
Enquanto o padre ameaça com inferno e armagedom,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CVIII

I give up my ego and all that I am,
I shall be bled whiter than a spring lamb!
Surrender my life and become as Her pawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu dou o meu ego e tudo o que sou,
Vou ser sangrado mais branco do que um cordeiro primavera!
Entrego a minha vida e tornar-se como seu peão,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CIX

Your whispering voice is the wind in the trees,
A sweet melody carried on a warm breeze.
The scent of Your breath, it’s here then it’s gone,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A sua voz sussurrando é o vento nas árvores,
Uma doce melodia levada em uma brisa quente.
O cheiro de sua respiração, é um instante, então ele foi embora,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CX

Arouse me with the caress of Your finger
In the warmth of Your embrace let me linger.
You’re my lover, my friend and my companion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Desperte-me com as carícias de seus dedos
No calor do seu abraço me deixe ficar.
Você é meu amante, amigo e meu companheiro!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXI

The prophet’s a fool with his one, one, one!
Are they not the ox and by the book, none?
The secret is hidden in numeration,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O profeta é um tolo com seu um, um, um!
Eles não são o boi e pelo livro, nenhum?
O segredo está escondido na numeração,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXII

Cups overflow with the waters of love,
Two side by side receive grace from above.
From the heart of the lotus, passion flows on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Taças a transbordar com as águas do amor,
Dois, lado a lado recebendo a graça de cima.
Do coração do lótus, a paixão flui,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXIII

Swimming in aether like fish in a stream,
We float through this life, sleepers caught in a dream.
We swim to the sea of intoxication!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Nadando em peixes como o éter em um córrego,
Flutuando por esta vida, dormentes, presos em um sonho.
Nadando para o mar de intoxicação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXIV

The brine of the sea is the salt of Her tears
As man has forgotten for two thousand years
That the earth is sacred, his holy matron!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A salmoura do mar é o sal de suas lágrimas
Como o homem se esqueceu por dois mil anos
Que a terra é sagrada, sua santa matrona!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXV

Thou art the light, Thy star in within me,
Exploding in spiritual alchemy!
Thy love is the key to my redemption;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és a luz, Tua estrela em dentro de mim,
Explodindo em alquimia espiritual!
Teu amor é a chave para a minha redenção;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXVI

To his lady the Beast sings a lustful tune
For he is a sun and his lady a moon.
Their love is creation, the world is their spawn!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Para a sua senhora a Besta canta uma melodia lasciva
Pois ele é um sol e sua senhora uma lua.
O amor deles é a criação, o mundo é sua prole!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXVII

As I come through the ordeal which is bliss,
Careful I tread to avoid the Abyss
And escape the clutches of Choronzon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu venho pela provação que é felicidade,
Cuidando de cada passo, atento ao abismo
Escapando das garras de Choronzon!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXVIII

The blesséd redemption of life without sin,
Discarding the old so the new can begin.
The good ones are purged and the evil ones gone,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A redenção abençoada da vida sem pecado,
Descartando o velho para que o novo possa começar.
Os bons são purgados e os maus deixados,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXIX

Thou abomination, Thou crimson witch,
Summon the black wolf and his howling bitch;
Discarding the wretched as carrion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu abominação, Tu bruxa carmesim,
Convoque o lobo negro e sua cadela uivando;
Descartando os miseráveis como carniça!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXX

Thou who art female, Thou who art male,
Combining the elements within Thy grail
With Thy ruby eagle and ivory lion.
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu que és mulher, Tu que és homem,
Combinando os elementos dentro do teu Graal
Com sua águia rubi e leão marfim.
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXI

As the wheel of fortune spins round and round
The serpent of karma ascends to be crowned
And receive the elixir of liberation;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

À medida que a roda da fortuna gira e gira
A serpente de karma sobe para ser coroado
E recebe o elixir da libertação;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXII

O voluptuous maiden in purple bedding,
Unite with my soul in our mystical wedding!
Absorb me completely in oblivion!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O donzela voluptuosa na cama púrpura,
Una-se com a minha alma em nosso casamento místico!
Me absorve completamente no esquecimento!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXIII

The Aeon of Mars is the aeon of war,
Given birth by the Beast 666 and his whore
And the stele that they call abomination!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O Aeon de Marte é o aeon de guerra,
Dado à luz pela Besta 666 e sua prostituta
E a estela que eles chamam de abominação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXIV

Wickedly lustful, a sinful delight,
Your hair is aflame in the glowing moonlight!
Your skin alabaster, so pale and so wan;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Perversamente lascivo, um prazer pecaminoso,
Seu cabelo está em chamas sob o luar brilhando!
Sua pele acetinada, tão pálido e tão lívida;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXV

No bird in the sky, no fish in the sea,
No creature on earth is as lovely as Thee!
Thy beauty is beyond all description!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Nenhum pássaro no céu, nenhum peixe no mar,
Nenhuma criatura na terra é tão lindo como a Ti!
Tua beleza está além de toda descrição!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXVI

Lady of Mystery, goddess noir;
Arise in the nighttime, o evening-star,
Shedding Your light in the dark of Ammon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Senhora do mistério, deusa escura;
Levanta-te na noite, o noite estrelada,
Derramando sua luz na escuridão de Amon!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXVII

Of Thee angels sing in their heavenly choir,
O mother of earth, air, water and fire!
Thy glory and majesty I call upon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A tí anjos cantam em seu coro celestial,
Ó mãe de terra, ar, água e fogo!
Tua glória e majestade Invoco,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXVIII

Come forth, my lady, take form in the smoke!
Goddess of Passion, Thee, Thee I invoke!
O divine whore hear my incantation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Apareça, minha rainha, tome forma na fumaça!
Deusa da Paixão, você, você eu invoco!
O prostituta divina escute meu encantamento,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXIX

Kings give up crowns for a sip from Your cup!
Even the poor man or lofty bishop
May give up their lives for Your libation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Reis desistem da coroa para um gole do seu copo!
Até mesmo o homem pobre ou bispo sublime
Podem dar suas vidas por sua libação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXX

Fear not, o prophet, for thou art the chosen,
Thy kisses are sweet, thy breath is ambrosian.
Blesséd are those who thine eyes look upon!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Não temas, ó profeta, pois tu és o escolhido,
Teus beijos são doces, seu hálito ambrosiano.
Bem-aventurados são aqueles sob teus olhos.
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXI

I frolic and dance to the magickal note
From the pipes of Pan in the Night of the Goat!
No end to the revels, he plays on and on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu brinco e danço com cada nota mágicka
Da flauta de Pan na noite do Bode!
No fim das orgias, ele se diverte mais e mais,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXII

O City of Pyramids, I hear your call
To play and rejoice in the garden of All!
Free of deception and gross illusion,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Oh Cidade das pirâmides, escuto seu chamado
Para regozijar e alegrar-me no jardim de tudo!
Livre de engano e ilusão grosseira,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXIII

I adore You with kisses that taste of wine,
Your spirit within me as blood from the vine!
I’m the babe at Your breast, Your lover, Your faun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Adoro-te com beijos com sabor de vinho,
Seu espírito dentro de mim como o sangue da videira!
Eu sou o bebê em seu peito, seu amante, seu fauno,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXIV

You come upon me while th’ evening moon wanes,
Your burning lust pumps through each of my veins!
My swelling phallus in full erection,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Você montada em mim, enquanto a lua na noite decresce,
Seu desejo ardente passa através de cada uma de minhas veias!
Meu falo inchado em rígida ereção,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXV

The wind is Your breath and the trees are Your hair,
In all of creation there is none so fair!
Your splendor and beauty revealed by the dawn,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O vento é a sua respiração e as árvores são seus cabelos,
Em toda a criação não há ninguém tão justo!
Seu esplendor e beleza revelada pela madrugada,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXVI

Quietly whispering into my heart,
Nightly unveiling Yourself in Your art
Veiling Yourself once again before dawn;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Calmamente sussurrando em meu coração,
Revelações noturnas de sua arte
Velando-se mais uma vez antes do amanhecer;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXVII

As Persephone You’ve haunted my dreams,
The daughter of Styx is not what She seems!
My fate is tied to You forever and on,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Como Perséfone estás tu assombrado os meus sonhos,
A filha de Styx não é o que parece!
Meu destino está vinculado a você para sempre e além,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXVIII

Give over thy life to love and to bliss,
And know that no god will deny thee for this!
Divided we are for the chance of union!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Entregue sua vida ao amor e à felicidade,
E saiba que nenhum deus te negará por isso!
Dividido estamos pela chance de união!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXXXIX

Beyond life and death, beyond even love,
Choose carefully between serpent and dove!
And so to the Beast with his Lady thereon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Além da vida e da morte, além até mesmo do amor,
Escolha com cuidado entre a serpente e a pomba!
E assim, para a Besta com sua respectiva Senhora,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXL

Animal passion arousing my lust
Inflaming our rapture with every thrust!
Our love becomes life in its consummation
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Paixão animal despertando meu desejo
Inflamar o nosso êxtase com cada impulso!
Nosso amor torna-se a vida nesta consumação
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLI

Floating in darkness, the warmth of the womb,
Calling me from the abyss of the tomb.
The glory of life in the light of the sun,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Flutuando na escuridão, o calor do útero,
Chamando-me do abismo da sepultura.
A glória da vida à luz do sol,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLII

Thou art the water, Thou art the fire,
Thou art the orgasm and the desire!
Thou art the goddess upon the dragon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Tu és a água, Tu és o fogo,
Tu és o orgasmo e o desejo!
Tu és a deusa em cima do dragão,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLIII

I swim through the aethyr, alone like a fish
Who is fighting the current, not to perish
Before reaching the sea of liberation!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Mergulho através do aethyr, sozinho como um peixe
Quem está lutando contra a corrente, para não perecer
Antes de chegar ao mar de libertação!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLIV

The wine in the cup is the blood of the saints;
As Babalon dips in Her finger and paints
A seal on my heart with Her name written on;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O vinho na taça é o sangue dos santos;
Babalon mergulha seu dedo e pinta
Um selo em meu coração com seu nome escrito;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLV

The archer, his bow drawn tight with an arrow,
Takes aim at the mystery of the Tarot;
The shaft marks the Way in its ascension!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O arqueiro, o arco seguramente apertado com uma flecha,
Toma por objetivo o mistério do Tarot;
O eixo marca o caminho em sua ascensão!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLVI

The chemical wedding, the marriage divine,
For the act of creation do lovers entwine!
Truest love, once given, is never withdrawn!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

O casamento químico, a divina união,
Para o ato da criação que os amantes se entrelaçam!
Verdadeiro amor, uma vez dado, nunca é retirado!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLVII

With angelic tablets, my spirit aflame,
Each of them equal to Your holy name;
The fifth in the center brings all in union!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Com tábuas angelicais, meu espírito em chamas,
Cada um deles igual ao Seu santo nome;
O quinto no centro traz tudo em união!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CXLVIII

Worship and praise to the Victorious Queen,
Empress of earth in Your garden so green
With clovers and roses and snow-white swan;
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Adoração e louvor à Rainha Vitoriosa,
Imperatriz da terra em seu jardim tão verde
Com trevos e rosas e cisnes brancosde neve;
A levantar a taça e adorar Babalon!

CIL

I invoke You, sweet lady, under Your stars,
Adoring the union of Venus and Mars;
Offering all to their fornication!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu Invoco sua presença, doce senhora, sob Suas estrelas,
Adorar a união de Vênus e Marte;
Oferecendo todas as suas fornicações!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CL

The pain of division, the twilight of death -
All those whom we love will draw their last breath.
But death is no ending, they live on and on!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A dor da divisão, o crepúsculo da morte -
Todos aqueles a quem amamos terão o seu último suspiro.
Mas a morte não é fim, eles vivem acima e depois!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLI

I become KAOS and You are my bride,
Our union is ecstasy, light glorified!
My lover, my mistress, my sole devotion,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Eu me torno KAOS e você é minha esposa,
Nossa união é o êxtase, luz glorificada!
Minha amante, minha rainha, minha única devoção,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLII

Let Mary inviolate be torn upon wheels
And her chastity broken beneath holy seals,
Each with the seven-point star written on!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Que Maria inviolada seja despedaçada sobre rodas
E sua castidade quebrada sob selos sagrados,
Cada selo com a estrela de sete pontas gravado!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLIII

A lone fool I wander, as Percivale,
To discover the secret of Your holy grail.
By the rod and the chalice I Thee call upon,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Como um tolo solitário eu vagueio, como Parzival,
Para descobrir o segredo de seu Santo Graal.
Pela vara e o cálice eu te invoco,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLIV

When all becomes No Thing, when all aeons close,
When Gabriel’s golden horn finally blows,
When all become two, become one, become none,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Quando tudo se torna nenhuma coisa, quando aeons terminarem,
Quando chifre de ouro de Gabriel finalmente explodir,
Quando tudo se tornar dois, se tornar um, tornar-se nenhum,
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLV

The light of the splendor of Adonai
Extends from the heavenly all-seeing eye,
Revealing creation in its refraction!
I raise up the cup and adore Babalon!

 

A luz do esplendor da Adonai
Estende-se desde o olho celestial que tudo vê,
Criação reveladora em sua refração!
A levantar a taça e adorar Babalon!

CLVI

To the Lady of Life do I sing this praise
Of worship and love to the end of my days!
Let all open ears hear my acclamation,
I raise up the cup and adore Babalon!

 

Cento e cinqüenta e seis é o nome dela -
O número de todos aqueles que vivem desavergonhadamente!
Quem levar Sua mensagem adiante aqui e lá
E levantar as taças para adorar Babalon!

 

Amor é a lei, amor sob vontade.