Menu

Faze o que tu queres serÁ o todo da Lei.

LIBER PENNAE PRAENUMBRA

 

SOROR ANDAHADNA  

 

 

 

 

No Akasha-eco é isto inscrito:

Pela mesma boca, Ó Mãe do Sol, é suspirada a palavra e o néctar recebido. Pela mesma respiração, Ó Contrapeso do Coração, é o manifesto criado e destruído.

Mas há um portão, embora lá pareçam ser nove, Mímico dançarino das Estrelas. Quão formosa tua teia e tecido, reluzente no fogo-escuro do espaço!

Os dois que são nada te saúdam, Chama Negra que move Hadit! Quanto menos Um cresce, quão mais Pra-NU pode manifestar-se. Fale a nós agora, as crianças do tempo-por-vir; declare sua vontade e concede-nos o seu Amor!

Então falou Aquela-que-Move:

Eu despejo sobre vocês, Crianças de Heru! Todos vocês que amam e guardam a Lei, Nada guardando para si mesmos, são abençoados. Vocês tem procurado os pedaços espalhados de Nosso Senhor, nunca cessando para montar tudo que tem sido. E no Reino dos Mortos vocês procriaram do Morto o Iluminado. Vocês deram à luz e o alimentaram.

Tua Terra de Leite deve também ter o mel, deixado cair como orvalho pelo Ginandro Divino. O prazer e deleite estão no Trabalho, o Todo excedendo as Partes juntas.

O Senhor das Partes é colocado dentro de seu reino, como feito pela Besta e pelo Pássaro. A terra do Sol é aberta às Crianças. Atenção a Criança Eterna - seu Caminho está fluindo livre e adaptado à Natureza de sua existência.

Uma Voz gritou no Eco De Cristal:

Que significa este mostrar-adiante? É o Tempo em Si Mesmo esperado? O Falcão voou mas sessenta e dez no Seu curso é repartido!

Ela sorri, linda como a Noite:

Observe, Ele espalha suas penas ainda em vôo, banhando e agitando a Luz Dourada sobre os corações dos homens. E em que Ele voa, e por que meios? A Pena e o Ar são Seus para cavalgar, para auxiliá-lo sempre em seu IR- indo.

Os pilares das idades são imutáveis, firmemente eles são Set. O Dia do Falcão está amanhecendo, e verá sua devida medida segundo as Leis de Tempo e Espaço.

A Voz então falou:

Então a Visão falhou? Eu Os observo deformados, pensando em ti como sendo Quem Tua arte Não é?

Ela dançou e girou, espalhando a luz das estrelas em sua risada silenciosa.

Eu Sou Quem Eu pareço ser, às vezes, e então outra vez Eu uso um véu triplo. Não confunda! Acima de tudo, prevalece a Verdade.

Eu sou a Ilimitada. Quem lá está para me dizer não, para dizer, Você não deve passar? Quem realmente pode dizer, Seu tempo ainda está por vir, quando o próprio Tempo é meu principal servo-criado, e Espaço o Major-domo de meu Templo?

Realmente, Ó Voz do Akasha, Eu sou os meios pelos quais fala. Pela mesma boca que respira o Ar, despejar palavras de dúvida. Então em silêncio, Me conheça. Pois Eu venho com propósito neste tempo, para auxiliar os Amantes do Falcão a voar.

A PALAVRA DE VOO

Quem hesita no Voo deve por isso cair: a grandeza dos Deuses está no IR- indo.

Quando pela primeira vez vocês voaram, Amados de Heru, quebraram a concha que longamente os protegeu. Sobre as Asas da Vontade vocês se aventuraram, ganhando vigor e força vocês voaram. Vocês ganharam todo conhecimento do Reino Emplumado, pelo que se tornaram perfeitos como o Sol. Todos os amigos e mentores se tornaram irmãos.

O Cisne real, a Garça e a Coruja - o Corvo e o Galo lhes ajudaram. A Beleza do próprio Falcão foi concedida, as virtudes do Pavão, o Colibri e Pombo. A Águia revelou sua natureza interior e seus mistérios - observem, vocês testemunharam como, com seu Leão, ela se tornou o Cisne. E o Íbis do Abismo mostrou o Conhecimento.

Vocês voaram, Ó Reis e Eremitas! E voam mesmo agora, dentro do encanto curvado de NU. Mas há aqueles dentre vocês, e abaixo de vocês, que laçariam suas asas e os arrastariam do céu.

Olhem bem fundo! Julguem seu Coração corretamente! Se vocês são puros, ele não pesa mais que Eu. Isto não os trará para dentro do Abismo. Pois Ouro é Luz, mas Chumbo é fatal quando em voo - observe suas próprias profundidades, em Verdade e em autoconhecimento.

Se de alguma forma poderiam impedir-lhes, estão fazendo. Observe agora este ensinamento dentro do Templo.

Assim dizendo, Aquela-que-Move assumiu a forma da grande Chama Negra, crescendo do tronco central e ondulando dentro do Vazio. As Crianças de Heru observaram em silêncio, e escutaram Suas palavras formarem-se em seus corações.

Observe! Esta lente de Estrelas voltando agora no Espaço diante vocês - os homens a nomearam corretamente como Andromeda. Através delas fluo para a Lua do Cão sagrado, e dali a Ra, e dali a vocês, Ó Sacerdotes.

Vocês não devem descansar satisfeitos enquanto no Reino, mas lutar e assim exceder o que é feito. Em Amor da Dama do Norte, e em Vontade do Príncipe do Sul, fazei que cada coisa seja. Na força da Estrela de Sete-raios devem compreender a Besta. E desde HAD do Coração se deleitarem na tua querida estrela-arcada.

Faça tudo isto, e então, vá além. Abandone qualquer coisa que possa te distinguir de outra coisa, sim, ou de nenhuma-coisa. Se o caçador poderia te laçar, deixe teu manto-de-penas balançar em sua mão e seja invisível e nu para além!

Mas agora! Como sacerdotes dentro do Templo vocês estão aqui, como Reis, e Guerreiros, todos Magos. O Caminho está no Trabalho.

O Oculto do Abismo agora dá os dois onde está escrita a mais alta trasmutação: apoiando a Terra está Chthonos - aprenda bem, e todos devem se perder para o trabalho da Vontade. Espírito Elevado, lá está Ychronos, cuja natureza é duração e a passagem.

Os dois são um, e formam a essência do Reino. Quem os domina é Mestre do Mundo. Eles são as chaves completas da Transmutação, e chaves da força dos outros Elementos.

Os Guerreiros-Sacerdotes receberam as Chaves, e as colocaram dentro de seus robes, para mantê-las escondidas bem acima de seus corações. A Chama Negra dançou e encolheu-se, se tornando pequena, uma caneta de pena, emplumada e pontiaguda. Não tendo nada sobre o que escrever, um dentre os Sacerdotes veio  adiante, e dispôs a pele do seu corpo em cima do altar como pergaminho vivo.

Aquela-que-Move escreveu logo após uma Palavra, mas não mostrou perante eles. Em paciência esperada todos os Reis e Eremitas, asseguraram a completa Compreensão final.

A Pena cresceu outra vez, e contornou suas margens, tornando-se para seus olhos o Yonilingam. A imagem veio do Antigo Baphomet, O Chifrudo, que falou:

Há tempos vocês sabiam a Chave dos Dois-em-Um conjuntados. Vocês viveram e amaram completamente como NU e HAD, como PAN e BABALON. O Mistério de minha própria imagem vocês também conhecem, como era uma Verdade para as antigas Ordens do Leste e do Oeste.

Bipartida tem sido a Raça dos Homens em sua época. O Pai e a Mãe fizeram uma Criança. Eu sou a mais antiga das Crianças, verdade - mas agora os jovens ascendem para Seu Dia.

A natureza da verdadeira Alquimia é que isto muda não só a substância do Trabalho, mas muda então também o Alquimista. Vocês cuja Vontade é Trabalhar por esse meio, observem minha imagem inversa, e considerem bem seu significado para tua Tarefa.

A DEMOSNTRAÇÃO DA IMAGEM

De fora do Yonilingam soprou uma Nuvem, violeta e lampejante. No coração nublado um som surgiu, vibrando macio, preenchendo toda parte.

Adornando e reluzindo luzes-arco-íris das asas, pairaram no meio de uma humilde ABELHA. Listada de ouro e marrom, suavemente peluda e encurvada na forma, brilharam seus olhos sobre os Sacerdotes e Reis reunidos.

Falou então Aquela-Que-Move fora da névoa circundante:

Isto é o símbolo do Trabalho-por-vir, o Grande Ginandro em sua forma Terrestre. O Mago deve crescer por sobre a ABELHA como o Aeon desdobra, um líder e um sinal sobre a Raça dos Homens.

Que então nos mostra a ABELHA de sua natureza?

Observe, isto não é masculino nem feminino no singular. Trabalha de dia em voo constante, um fazedor sem ego, cuja vontade e a Vontade da Colmeia são uma.

Coleta o néctar da flor, voa para a Colmeia e lá, em pura ComUnhão, faz seu corpo Transmutar.

O néctar agora é mel. Abelha para abelha, ele é transferido, falando todos os Mistérios da Colmeia de e para cada boca. Pela mesma boca que primeiro coletou, é o mel consumido, a Alquimia secreta dentro dos Centros se tornando Ouro Prateado.

A Colmeia agora vive, imortal. Com rainha e trabalhadores, zangões e operárias, soldados e madrastas - todos são um. Em constante renovação da vida, a Colmeia respira como Um Ser - pois realmente é isto. Na Vontade da Colmeia está preenchida a Vontade da Abelha. Cada uma em seu lugar, as Abelhas trabalham sua Vontade em ordenada harmonia.

A imagem desaparece. Agora a equilibrada Pluma se move numa dança elegante, abrindo as longas asas, tomando a forma do escuro Abutre.

Mas saibam, Ó Crianças do Falcão, um Homem não é uma Abelha. Ele pode se beneficiar desta imagem, para aprender da Sabedoria no Trabalho. Observe em Mim outra imagem para instruir teu coração.

Ergueu-se ante seus olhos a Torre do Silêncio, em que os Amantes do Fogo depositam seus mortos.

A forma do Abutre desceu suavemente, e comeu a carne dos cadáveres, até o osso. O vento uivou, desolado, neste lugar medonho, agitando as mortalhas sobre o esqueleto de marfim.

Silenciosamente, O Alado olhou fixamente, o sangue pútrido manchando seu bico. Dentro dos olhos de cada Sacerdote lá reunido, seu olhar sinistro procurou. Em paz perfeita eles observaram sua pesquisa, pois cada um, como Guerreiro, tinha feito da Morte um irmão. Então deliberadamente, ele desdobrou suas asas, e tomou-as ao vento, e  pairou nos ares acima daquele lugar.

A ENTREGA DA PALAVRA

Eternidade então reinou, Infinito o véu que pendurou sobre eles.

Em Algum Lugar, algum dia, o véu se partiu por um momento, e Aquela-que-Move passou. Mais graciosa que qualquer mulher mortal alguma vez foi, Ela incandesceu em brilho de pérola e ametista. Bem dobrado linho foi Seu vestido, cingido em ouro e prata, e em Sua cabeça, uma nêmese de azul estrelado. Sua coroa era uma única pluma, livre erguida, e em suas mãos o Ankh e a Vara da Cura.

Sobre cada Guerreiro-Sacerdote ela se moveu, os abraçou e os beijou. Então, pousada no meio, Ela falou como um camarada do mesmo nível.

Todos vocês que praticam a Alta Arte, escutem. Nada deve haver escondido de tua vista. Todas as formulas e Palavras vocês devem descobrir, sendo iniciados por aqueles que Trabalham para ajudar a Lei da Vontade.

Vocês trabalham bem em tudo que tem sido dado; sobre a Árvore da Vida são vocês encontrados. No Tetragrammaton vocês procederam; tudo que a Besta deu vocês praticaram corretamente. Vocês tornaram-se Hadit, e NU, e também Ra-hoor-khuit. Como Heru-pa-kraath vocês continuam em silêncio. Vocês conhecem PAN como amante e como deus, e BABALON é noiva e Mesmo Ser de você.

As forças de Shaitan vocês engendraram, extraindo o nexo do noventa e três para trabalhar sua Vontade. Separação para o prazer de União vocês conheceram, e Alquimia é Ciência para sua Arte.

Para aqueles que sabem, e querem, e ousam, e se mantêm em silêncio, há mais além disso.

Na morte está a Vida - agora como sempre tem sido. A Morte Querida é eterna - guarde isto. Pessoa de Ego, filho de si nascido de Maya, deve ser assassinado no momento do nascimento. O Olho que não dorme deve manter vigília, Ó Guerreiros, pois a ilusão é auto-gerada.

Observação constante é o primeiro Ato - o Abismo é cruzado em minutos, todo dia.

Se vocês podem dançar a Máscara, então mascarem a Dança. Seleta deve ser a Arte nesta instrução; e equilíbrio no Centro seja mantido, ou senão dareis inusitada Vida a tuas próprias criações. Trilhe cuidadosamente este caminho de Trabalho, Mago. Uma ferramenta, por Desejo inventado, faz um mestre doente.

Agora na Missa, a Águia deve ser alimentada sobre o que ela tem compartilhado a fabricação. Pela mesma boca que ruge sobre a montanha, é a palavra-ato de Nenhuma Diferença dada.

E quando a Vontade declara, deverá se agrupar à ABELHA para somar o ouro ao vermelho e ao branco. A essência de Shaitan é Néctar aqui, o Templo é a Colmeia. O Leão é a Flor, agora é o momento, a Águia invoca a natureza da ABELHA.

Dentro da câmara-tripla do santuário é o primeiro néctar colhido. A convocação da vara de PAN desperta a felicidade do portal se abrindo. E da terceira e mais íntima câmara, em alegria suprema, o presente de Sothis, Licor quintessential de mel e água, reunidos para unir lágrimas-de-Águia e sangue-de-Leão.

Solve et Coagula. ComUnhão por esse meio, de que o próprio Cosmos dissolve, e re-forma por Vontade. E saiba, se de qualquer forma pode ser ordenado no Reino, que três ou mais é zero, assim como as antigas verdades.

Então se agitaram os Guerreiros-Sacerdotes, e de seu número, um inominável se adiantou.

Nós os conhecemos, Senhora, não pronunciado Teu nome vem sendo. Mas diz agora - o que foi escrito na pele do homem? Qual é a palavra que tu destes?

Ela sorriu e tirou de seu robe um pergaminho ressecado, formado como uma Estrela. Desenrolando-o, Ela girou o carrossel, portanto todos poderiam ver.

IPSOS

Que é esta Palavra, Ó Senhora - como pode ser usada?

Em sabedoria silenciosa, Rei e Sacerdote-Guerreiro. Deixe a escritura brilhar e deixe a palavra ser oculta; a escritura é iluminação suficiente para velar a face.

Isto é a palavra do vigésimo-terceiro caminho, cujo número é cinquenta e seis. Isto é a Permanência do não falado, em que a Dança da Máscara é ensinada por Mim. Tahuti observa sem Ape; Eu sou o Abutre também.

Isto é o Cálice do Ar e a Vara da Água, a Espada da Terra e o Pantáculo de Fogo. Isto é a ampulheta e a serpente mordendo a cauda. Isto é o Ganges se tornando Oceano, o Caminho da Criança Eterna.

Isto nomeia a Fonte de Minha Própria Existência - e da sua. Isto é a origem desta transmissão, que canaliza através de Andromeda e Set. Que raça de deuses fala aos homens, Ó Queridos? A palavra deles é ambos o Nome e o Fato.

Isto é para teu mantra e encantamento. Falar é efetuar certa mudança. Seja prudente em seu uso - pois se a verdade for conhecida no exterior, isto poderia porventura dirigir os escravos para loucura e desespero.

Apenas um verdadeiro Sacerdote-Rei pode conhecer completamente, e ficar em equilíbrio em seu IR-indo voo. Isto é tudo que falo por enquanto. O Livro da Ante-Sombra da Pena está completo. Faze que tu queres há de ser tudo da Lei. Amor é a lei, amor sob vontade.

DONAT PER OMNE 
SCRIBA - NEMA
SOL IN CAPRICORNUS
ANNO HERU LXX
CINCINNATI, OHIO

 

Amor é a lei, amor sob vontade.