Menu

Faze o que tu queres serÁ o todo da Lei.

SHIVA SUTRAS

 

AFORISMOS DE SHIVA - SHIVAÍSMO KASHMIR

Shiva Sutras são uma coleção de setenta e sete aforismos que formam a fundação da tradição do misticismo espiritual conhecido como Shivaísmo Kashmir. Atribuem-se ao sábio Vasugupta do século IX. A obra dos Shiva Sutras está baseada num tratado Oriental, em sânscrito, da escola do Kashmir Shivaísmo. A filosofia dos Shiva Sutras tem como fundamento a existência da Realidade Primária, que se manifesta a si mesma como um todo no Universo. Cada Mônada, ou Anu, é somente um Centro de Consciência e Poder separado nessa Realidade, que tem Consciência Universal (Shiva) e Poder Universal (Shakti) em forma potencial dentro de si.

A obra dos Shiva Sutras contém um total de 77 Sutras, ou Aforismos, compreendidos em três seções. A Seção I – Sãmbhavopãya – tem 22 Sutras; a Seção II – Sãktopãya – tem 10 Sutras; e a Seção III – Ânavopâya – tem 45 Sutras.

As três seções desses Sutras apresentam o tema do desenvolvimento da consciência e de como adquirir uma compreensão cada vez maior e mais profunda, sob três pontos de vista: primeiro, o da Consciência Divina (Shiva); segundo, o do Poder Divino (Shakti); e terceiro, do seu produto, a Mente (Citta).

Somente quando ocorre a manifestação, depois de um período de repouso, é que o Poder se separa da Consciência, desce através do Grande Centro (Mahabindu) e cria todo o cenário da manifestação, através do qual a Consciência de Shiva pode então funcionar e expressar-se em medida crescente no curso da evolução.

Desse modo, no campo da manifestação, Consciência e Poder encontram-se sempre juntos, mesmo que em cada organismo predomine um ou outro, segundo o estágio de evolução e as circunstâncias prevalecentes em cada esfera particular de expressão.

A prática de estudar as Sagradas Escrituras como Śivasūtra-s conhecida como Svādhyāya. É uma prática muito importante pois todos os sentidos e a mente são envolvidas nela. Leia os aforismos atentamente sentando-se em Asana e fará a sua mente tranquila e pacífica na compreensão de cada palavra. Svādhyāya é uma Yoga em si mesmo.

PRIMEIRA SEÇÃO - SHÂMBHAVOPÂYA

 

चैतन्यमात्मा॥१॥
Caitanyamātmā||1||

“A Mônada ou Espírito individual, que é que é o mais interno Eu do homem,
possui em essência a natureza de pura consciência, isto é, da Realidade quando voltada
para fora e, dessa maneira, funcionando em seu aspecto Consciência.”

ज्ञानं बन्धः॥२॥
Jñānaṁ bandhaḥ||2||

“O Conhecimento baseado nas ilusões da mente é a causa da escravidão da
Mônada, ou Jivâtmâ, nos mundos inferiores.”

योनिवर्गः कलाशरीरम्॥३॥
Yonivargaḥ kalāśarīram||3||

“Maya, classe, função e veículo da consciência, determinaram a natureza do
conhecimento mental (que é a origem da escravidão).”

ज्ञानाधिष्ठानं मातृका॥४॥
Jñānādhiṣṭhānaṁ mātṛkā||4||

“As bases estruturais sutis de todas as qualidades de conhecimentos que
aparecem na mente são os poderes específicos presentes nos sons que correspondem
às letras do alfabeto, ou outros modos de movimento.”

उद्यमो भैरवः॥५॥
Udyamo bhairavaḥ||5||

“O imenso esforço e a energia requeridos para a manifestação de um universo
provêm da Vontade Divina de Shiva, a Consciência Universal, e aparece inicialmente
através do âkâsha sob a forma de Nâda, o Som integrado, do qual são derivados todas
as formas de vibração e modos de movimento no reino da manifestação.”

शक्तिचक्रसन्धाने विश्वसंहारः॥६॥
Śakticakrasandhāne viśvasaṁhāraḥ||6||

“Pela contemplação do Centro, através do qual o Poder Divino desce e produz a
manifestação de um universo, a consciência reverte ao seu puro estado original e assim
o universo - como um fenômeno mental separado - desaparece.”

जाग्रत्स्वप्नसुषुप्तभेदे तुर्याभोगसम्भवः॥७॥
Jāgratsvapnasuṣuptabhede turyābhogasambhavaḥ||7||

“Transpassando os três estado inferiores (Jâgrat, svapna e susupti), a consciência
torna-se capaz de expandir-se no quarto estado, do qual derivam os três inferiores.”

ज्ञानं जाग्रत्॥८॥
Jñānaṁ jāgrat||8||

“Jâgrat ou consciência de vigília compreende, no seu sentido mais amplo, todo o
conhecimento obtido quando o Eu subjetivo está em contato direto com o mundo em
torno, seja em que plano for.”

स्वप्नो विकल्पाः॥९॥
Svapno vikalpāḥ||9||

“Svapna ou estado de sonho da consciência, no seu sentido mais amplo e
filosófico, compreende todo o conhecimento presente na mente quando o Eu está
exercendo uma atividade mental independente do mundo que o cerca.”

अविवेको मायासौषुप्तम्॥१०॥
Aviveko māyāsauṣuptam||10||

“Susupti ou o estado de sem-sonhos da consciência compreende, em seu mais
amplo sentido filosófico, todo o conhecimento contido no reino da mente porque é
baseado na ausência de percepção da Realidade Única devido a Maya.”

त्रितयभोक्ता वीरेशः॥११॥
Tritayabhoktā vīreśaḥ||11||

“Aquele em cuja consciência os três estados se tenham fundido em um único
estado integrado pode exercer todos os poderes dentro do reino limitado da
manifestação.”

विस्मयो योगभूमिकाः॥१२॥
Vismayo yogabhūmikāḥ||12||

“Os estados atingidos e as experiências conquistadas nos diversos estágios da
prática da Yoga são realmente surpreendentes.”

इच्छाशक्तिरुमा कुमारी॥१३॥
Icchāśaktirumā kumārī||13||

“O Poder Divino atuante através do yogue que está preso no reino da
manifestação, embora seja maravilhoso, ainda não está ligado à Divina Consciência do
Shiva no “Imanifesto” e portanto não é verdadeiramente infinito.”

दृश्यं शरीरम्॥१४॥
Dṛśyaṁ śarīram||14||

“O mundo objetivo que rodeia tal yogue, aparece-lhe como sendo seu próprio
corpo, devido à expansão da sua consciência.”

हृदये चित्तसङ्घट्टाद्दृश्यस्वापदर्शनम्॥१५॥
Hṛdaye cittasaṅghaṭṭāddṛśyasvāpadarśanam||15||

“Com a percepção da interação entre a consciência e a mente no centro da
consciência, o mundo objetivo produzido na mente do yogue é visto como um sonho,
isto é, como um fenômeno puramente imaginário.”

शुद्धतत्त्वसन्धानाद्वापशुशक्तिः॥१६॥
Śuddhatattvasandhānādvāpaśuśaktiḥ||16||

“Pela contemplação da Realidade em sua pureza, é atingida a capacidade de
neutralizar o poder que acorrenta a alma ao mundo irreal.”

वितर्क आत्मज्ञानम्॥१७॥
Vitarka ātmajñānam||17||

“Pelo controle, e, finalmente, supressão da atividade da mente individual é
atingido o conhecimento do Âtmâ ou o Espírito individual do homem.”

लोकानन्दः समाधिसुखम्॥१८॥
Lokānandaḥ samādhisukham||18||

“Pela contemplação do aspecto ânanda do Eu, como no caso de um devoto, o
yogue se torna consciente da bem-aventurança que permeia os mundos manifestados.”

शक्तिसन्धाने शरीरोत्पत्तिः॥१९॥
Śaktisandhāne śarīrotpattiḥ||19||

“Pela contemplação do Poder Divino, que é base do mundo objetivo, o yogue
pode ver como todos os corpos são criados por este Poder e, possuindo esse
conhecimento, é capaz de criá-los.”

भूतसन्धानभूतपृथक्त्वविश्वसङ्घट्टाः॥२०॥
Bhūtasandhānabhūtapṛthaktvaviśvasaṅghaṭṭāḥ||20||

“Pela contemplação da natureza dos pañcha-bhûtas, ou os cinco Elementos
Cósmicos, o yogue adquire a capacidade de analisá-los e separá-los e assim descobrir
como, por sua instrumentalidade, foram construídos ou coordenados o universo e os
objetos nele contidos.”

शुद्धविद्योदयाच्चक्रेशत्वसिद्धिः॥२१॥
Śuddhavidyodayāccakreśatvasiddhiḥ||21||

“No alvorecer do puro conhecimento integrado, concernente ao Princípio que é a
base de todas as modalidades de técnicas, o yogue adquire o domínio do Grande Centro
através do qual o Poder Divino desce à manifestação para executar as suas múltiplas
funções.”

महाह्रदानुसन्धानान्मन्त्रवीर्यानुभवः॥२२॥
Mahāhradānusandhānānmantravīryānubhavaḥ||22||

“Pela contemplação do reservatório da Energia Divina, oculta no Centro da
Consciência Divina, é obtida a percepção do poder integrado do Som presente em
todos em todos os mantras, que são os instrumentos pelos quais o Som atinge os seus
fins.”

 

SEGUNDA SEÇÃO - SHÂKTOPÂYA

 

चित्तं मन्त्रः॥१॥
Cittaṁ mantraḥ||1||

“A base da mente, em seu aspecto objetivo e estrutural, é o poder inerente às
diversas combinações de Sons.”

प्रयत्नः साधकः॥२॥
Prayatnaḥ sādhakaḥ||2||

“Sucesso no conhecimento da relação entre a mente e um mantra e, pelo uso
desta relação, atingimento da Auto-Realização, somente podem ser alcançados pelo
esforço perseverante e inteligente, baseado no conhecimento correto.”

विद्याशरीरसत्ता मन्त्ररहस्यम्॥३॥
Vidyāśarīrasattā mantrarahasyam||3||

“O conhecimento e sua técnica são baseados na vibração e, o segredo para
adquirir conhecimento concernente às realidades interiores está oculto na ciência dos
mantras.”

गर्भे चित्तविकासोऽविशिष्टविद्यास्वप्नः॥४॥
Garbhe cittavikāso'viśiṣṭavidyāsvapnaḥ||4||

“A espécie inferior de conhecimento, que se desenvolve através da mente no
reino de Mâyâ, ou Prakriti, tem a natureza do sonho, sendo assim puramente
imaginária e não real.”

विद्यासमुत्थाने स्वाभाविके खेचरी शिवावस्था॥५॥
Vidyāsamutthāne svābhāvike khecarī śivāvasthā||5||

“O conhecimento supremo, que surge na consciência pelo emprego de meios
apropriados, não é influenciado pelas limitações da individualidade e somente pode
existir além da manifestação num Estado de Vazio que é o Estado Supremo da
Realidade denominada Shiva.”

गुरुरुपायः॥६॥
Gururupāyaḥ||6||

“O meio para obter o conhecimento supremo pode ser aprendido com o Mestre
espiritual de cada um, por já ter Ele atingido a Auto-Realização.”

मातृकाचक्रसम्बोधः॥७॥
Mātṛkācakrasambodhaḥ||7||

“O Mestre Espiritual inicia o discípulo unindo sua própria consciência com a do
discípulo e, assim, dá a este último o conhecimento direto do mâtrikâ-chakra através
do qual o poder do Som desce à manifestação.”

शरीरं हविः॥८॥
Śarīraṁ haviḥ||8||

“Na prática dos métodos ensinados pelo Mestre espiritual o corpo ou os veículos
da consciência do discípulo são queimados no Fogo do Conhecimento e cessam de
obscurecer e confinar sua consciência.”

ज्ञानमन्नम्॥९॥
Jñānamannam||9||

“E a qualidade inferior do conhecimento mental, é
queimado no Fogo do Conhecimento da Realidade, que desponta.”

विद्यासंहारे तदुत्थस्वप्नदर्शनम्॥१०॥
Vidyāsaṁhāre tadutthasvapnadarśanam||10||

“Com o desaparecimento da ilusão peculiar à espécie inferior de conhecimento
mental, é percebida a natureza semelhante ao sonho do mundo mental criado pela
mente do discípulo.”

 

TERCEIRA SEÇÃO - ÂNAVOPÂYA

 

आत्मा चित्तम्॥१॥
Ātmā cittam||1||

“A mente é apenas uma derivação, e uma forma diferenciada da pura Consciência
centralizada, portanto, essencialmente da mesma natureza da Consciência.”

ज्ञानं बन्धः॥२॥
Jñānaṁ bandhaḥ||2||

“É o conhecimento mental, prejudicado pela ilusão da dualidade, que é a fonte e o
instrumento da escravidão do homem que, inerentemente é livre e, fundamentalmente,
é uma expressão da Realidade.”

कलादीनां तत्त्वानामविवेको माया॥३॥
Kalādīnāṁ tattvānāmaviveko māyā||3||

“Deriva da natureza essencial de Maya ou de sua influência a incapacidade para
compreender que os fenômenos do reino da mente são criados por diferenciação de
princípios inerentes à consciência.”

शरीरे संहारः कलानाम्॥४॥
Śarīre saṁhāraḥ kalānām||4||

“Quando os veículos são queimados no Fogo do Conhecimento, como diz o
aforismo 2.8, as diferentes funções dos princípios ou kalâs, que se expressam através
dos veículos, simultaneamente desaparecem.”

नाडीसंहारभूतजयभूतकैवल्यभूतपृथक्त्वानि॥५॥
Nāḍīsaṁhārabhūtajayabhūtakaivalyabhūtapṛthaktvāni||5||

“Quando a consciência se retira dos nâdis, ou canais ao longo dos quais fluem as
forças vitais de um veículo, é obtido o domínio dos bhûtas e a capacidade de separá-
los, isolando-os uns dos outros.”

मोहावरणात्सिद्धिः॥६॥
Mohāvaraṇātsiddhiḥ||6||

“Nesses siddhis ou poderes inferiores ainda existe obscurecimento por moha ou
ilusão da mente causada pelo apego, que impede a completa liberdade ou Liberação do
mundo manifestado.”

मोहजयादनन्ताभोगात्सहजविद्याजयः॥७॥
Mohajayādanantābhogātsahajavidyājayaḥ||7||

“Somente pelo domínio da ilusão mental, causada pelo apego, mesmo que seja ao
mais sutil dos objetos do mais alto plano da manifestação, é obtido o conhecimento
inerente à Realidade que é oniabrangente, e através do qual tudo pode ser realizado.”

जाग्रद्द्वितीयकरः॥८॥
Jāgraddvitīyakaraḥ||8||

“Jâgrat ou estado desperto da consciência de um indivíduo, em qualquer nível, é
o brilho secundário da Luz Suprema da Consciência de Shiva, sendo o brilho primário a
Divina Consciência do Logos.”

नर्तक आत्मा॥९॥
Nartaka ātmā||9||

“O indivíduo que realizou a sua natureza espiritual como Âtmâ é um ator e está
consciente de ser um ator no palco do mundo e, assim, não afetado ou iludido pelo
papel que lhe compete representar.”

रङ्गोऽन्तरात्मा॥१०॥
Raṅgo'ntarātmā||10||

“A Consciência Universal do Logos ou Ishvara fornece o palco para o drama
mundial que é representado em um sistema manifestado.”

प्रेक्षकाणीन्द्रियाणि॥११॥
Prekṣakāṇīndriyāṇi||11||

“Os outros Jîvâtmâs assistem a representação, no palco do mundo, dos diversos
Jîvâtmâs, por meio dos órgãos dos sentidos. Eles não têm possibilidade de ver o Âtmâ
do ator, mas somente a parte exterior, que ele está representando no mundo.”

धीवशात्सत्त्वसिद्धिः॥१२॥
Dhīvaśātsattvasiddhiḥ||12||

“Pelo perfeito controle do poder de percepção é possível fazer a consciência,
antes voltada para fora, interiorizar-se e focalizar-se no Âtmâ, Centro individualizado
da Realidade.”

सिद्धः स्वतन्त्रभावः॥१३॥
Siddhaḥ svatantrabhāvaḥ||13||

“Pelo atingimento do completo controle sobre o poder de percepção o yogue
atinge um estado de ser no qual está inteiramente liberto das limitações que confinam
a consciência encarnada dos seres humanos, nas diversas condições de espaço e tempo.”

यथा तत्र तथान्यत्र॥१४॥
Yathā tatra tathānyatra||14||

“Assim como nesta, também nas outras partes”; ou “nestas como em quaisquer
outras circunstâncias”. O significado do enigmático enunciado acima é que o yogue tem
conhecimento e pode funcionar da mesma maneira por toda parte dentro do sistema
especial ao qual pertence.”

बीजावधानम्॥१५॥
Bījāvadhānam||15||

“Neste estágio de Âtma-jñâna a consciência do yogue está colocada no centro de
sua consciência, isto é, o Centro do qual o seu mundo mental é projetado. Este ponto é
chamado o manobindu em sânscrito, e é concêntrico com o Mahâbindu.”

आसनस्थः सुखं ह्रदे निमज्जति॥१६॥
Āsanasthaḥ sukhaṁ hrade nimajjati||16||

“Estabelecido no tríplice aspecto Sat-Cit-Ânanda da consciência átmica, o yogue
está mergulhado no oceano da bem-aventurança e sabedoria que permeia o sistema
manifestado.”

स्वमात्रानिर्माणमापादयति॥१७॥
Svamātrānirmāṇamāpādayati||17||

“Tal yogue tem o poder de criar ou produzir resultados na medida de sua
capacidade que, embora possa ser imensa, ainda é limitada.”

विद्याविनाशे जन्मविनाशः॥१८॥
Vidyāvināśe janmavināśaḥ||18||

“O ciclo de nascimentos e mortes termina somente com a destruição do
conhecimento mental inferior baseado em ilusões de várias espécies.”

कवर्गादिषु माहेश्वर्याद्याः पशुमातरः॥१९॥
Kavargādiṣu māheśvaryādyāḥ paśumātaraḥ||19||

“O yogue deve estar alerta em relação aos Poderes Divinos que inevitavelmente
o testarão antes que a Liberação possa ter lugar. Tais poderes pertencem a
Maheshvara e são formas diferenciadas de Âdi Shakti, inerentes, em sua forma
elementar, aos sons das letras. São esses poderes que desempenham as mais altas
funções da Criação, produzindo as ilusões, etc., que são necessárias em qualquer
sistema manifestado.”

त्रिषु चतुर्थं तैलवदासेच्यम्॥२०॥
Triṣu caturthaṁ tailavadāsecyam||20||

“Este aforismo afirma em linguagem metafórica que “o yogue deveria fazer um
esforço constante para manter o turîya, ou quarto estado de consciência, subjacente
nos estados menos sutis, de modo a não se deixar novamente envolver nas ilusões dos
mundos inferiores. O estado turîya é o estado átmico de consciência no qual há uma
percepção parcial da Realidade, mas, devido à centralização da Consciência pura, não
existe a completa liberação das ilusões e limitações mais sutis.”

मग्नः स्वचित्तेन प्रविशेत्॥२१॥
Magnaḥ svacittena praviśet||21||

“O Como se atingirá o quarto estado de consciência chamado turiya? Este aforismo
responde à pergunta: “Penetra-se nele mergulhando nos níveis mais profundos da 
consciência, a partir da própria mente.”

प्राणसमाचारे समदर्शनम्॥२२॥
Prāṇasamācāre samadarśanam||22||

“O atingimento do quarto estado de consciência, no qual a consciência do yogue
está centralizada no plano átmico e os três estados inferiores tornaram-se integrados
em um único, requer também a reorganização das correntes de prâna e kundalinî em
seus respectivos canais dentro do corpo.”

मध्येऽवरप्रसवः॥२३॥
Madhye'varaprasavaḥ||23||

“O estado de completa Auto-Realização deve ser atingido porque, amenos que o
yogue esteja firme e irreversivelmente estabelecido no mundo da Realidade, a sua
consciência pode reverter aos mundos inferiores, sujeitos às ilusões.”

मात्रास्वप्रत्ययसन्धाने नष्टस्य पुनरुत्थानम्॥२४॥
Mātrāsvapratyayasandhāne naṣṭasya punarutthānam||24||

“Tentativas repetidas para atingir o mais alto estado possível de consciência no
mundo da Realidade, tornam permanentes os estados perdidos pela reversão aos
estados inferiores.”

शिवतुल्यो जायते॥२५॥
Śivatulyo jāyate||25||

“Ao atingir o mais elevado estado, que fica além do estado átmico de
consciência, a consciência do yogue se torna ‘una’ com a Consciência de Shiva ou
Paramâtmâ e adquire então seus atributos.”

शरीरवृत्तिर्व्रतम्॥२६॥
Śarīravṛttirvratam||26||

“Um Mahâtmâ auto-realizado, embora livre da compulsão de reencarnar, pode
possuir veículos no mundo manifestado a fim de ajudar a humanidade, como um ato de
devoção.”

कथा जपः॥२७॥
Kathā japaḥ||27||

“Neste caso, a prédica religiosa que ele está constantemente pronunciando é
uma espécie de japa, é a repetição da mensagem da divindade do homem comunicada
aos seus companheiros em humanidade.”

दानमात्मज्ञानम्॥२८॥
Dānamātmajñānam||28||

“A constante disseminação da Sabedoria Divina é a sua dádiva para aqueles que
estão em torno dele ou venham ao seu encontro.”

योऽविपस्थो ज्ञाहेतुश्च॥२९॥
Yo'vipastho jñāhetuśca||29||

“Ele confere o conhecimento direto e se torna o protetor dos que assim foram
preparados e iniciados por ele.”

स्वशक्तिप्रचयोऽस्य विश्वम्॥३०॥
Svaśaktipracayo'sya viśvam||30||

“Ele se torna capaz de criar um sistema manifestado pelo Poder do Eu Supremo,
com o qual passa a se dotado.”

स्थितिलयौ॥३१॥
Sthitilayau||31||

“Pela mesma razão ele pode manter, e pode também destruir, o sistema
manifestado.”

तत्प्रवृत्तावप्यनिरासः संवेत्तृभावात्॥३२॥
Tatpravṛttāvapyanirāsaḥ saṁvettṛbhāvāt||32||

“Mesmo que o indivíduo auto-realizado esteja desempenhando as atividades
mencionadas nos aforismos anteriores, ele permanece totalmente desapegado das
mesmas porque a sua consciência está estabelecida no mundo da Realidade.”

सुखदुःखयोर्बहिर्मननम्॥३३॥
Sukhaduḥkhayorbahirmananam||33||

“As experiências de prazer e dor na vida de um yogue auto-realizado que está
desempenhando a função de Adhikâri Purusha ficam confinadas à periferia de sua
consciência e não afetam os seus níveis mais profundos, como as ondas na superfície
dos oceanos não afetam suas profundidades.”

तद्विमुक्तस्तु केवली॥३४॥
Tadvimuktastu kevalī||34||

“O yogue cuja consciência tornou-se completamente liberta da influência do
prazer e da dor é chamado um kevalî. Somente alguém assim dotado pode trabalhar
sem nenhum interesse pessoal e conseqüentemente servir de instrumento eficiente à
Vida Divina.”

मोहप्रतिसंहतस्तु कर्मात्मा॥३५॥
Mohapratisaṁhatastu karmātmā||35||

“Somente um yogue que tenha completamente sobrepujado a influência de moha
está qualificado para servir como um Adhikâri Purusha, isto é, como alguém que pode
ocupar um cargo de responsabilidade na Hierarquia Oculta que constitui o governo
interno do mundo.”

भेदतिरस्कारे सर्गान्तरकर्मत्वम्॥३६॥
Bhedatiraskāre sargāntarakarmatvam||36||

“Elevando-se acima do reino da mente, onde todas as coisas são vistas como
separadas, para o reino da Realidade Una, onde as coisas são vistas como diferentes
expressões da Realidade, adquire-se a capacidade de funcionar com igual facilidade em
todas as esferas, todos os reinos da Natureza e todos os sistemas solares em
manifestação.”

करणशक्तिः स्वतोऽनुभवात्॥३७॥
Karaṇaśaktiḥ svato'nubhavāt||37||

“A capacidade de agir livremente dessa maneira, necessária a um Adhikâri
Purusha, vem-lhe naturalmente, sem que ele precise empregar para isso nenhum
esforço especial, porque o Centro da sua consciência está estabelecido
permanentemente no mundo da Realidade, na própria fonte do Divino Poder
integrado.”

त्रिपदाद्यनुप्राणनम्॥३८॥
Tripadādyanuprāṇanam||38||

“Como resultado da capacidade que possui de usar o Divino Poder universal, o
Adhikâri Purusha pode criar quaisquer formas necessárias ao seu trabalho, e também
vitalizá-las em todos os estados e níveis de existência presentes no sistema.”

चित्तस्थितिवच्छरीरकरणबाह्येषु॥३९॥
Cittasthitivaccharīrakaraṇabāhyeṣu||39||

“Como no caso da mente, o corpo e os órgãos dos sentidos e da ação também
são vistos na periferia da consciência e não afetam os seus níveis mais profundos.”

अभिलाषाद्बहिर्गतिः संवाह्यस्य॥४०॥
Abhilāṣādbahirgatiḥ saṁvāhyasya||40||

“O desejo ou vontade de um Adhikâri Purusha para executar o Plano Divino,
leva-o a atuar também na periferia da consciência, isso porém não o afeta porque, em
seu ser mais profundo, está estabelecido no mundo da Realidade.”

तदारूढप्रमितेस्तत्क्षयाज्जीवसङ्क्षयः॥४१॥
Tadārūḍhapramitestatkṣayājjīvasaṅkṣayaḥ||41||

“Um Adhikâri Purusha está direta e constantemente consciente da Realidade,
por isso, a vida ou personalidade que ele assumiu temporariamente para executar uma
parte do Plano Divino, acaba ou desaparece com o desaparecimento simultâneo do
desejo ou vontade de executar o trabalho.”

भूतकञ्चुकी तदा विमुक्तो भूयः पतिसमः परः॥४२॥
Bhūtakañcukī tadā vimukto bhūyaḥ patisamaḥ paraḥ||42||

“Quando o Adhikâri Purusha está livre do mecanismo psicomaterial criado por
sua vontade utilizando o Poder Divino, sua consciência reverte ao estado de Shiva, ou
Realidade transcendental.”

नैसर्गिकः प्राणसम्बन्धः॥४३॥
Naisargikaḥ prāṇasambandhaḥ||43||

“O princípio de prâna, embora faça a ligação da pura Consciência do Purusha
com os seus veículos, no reino da manifestação, pertence realmente ao reino de
Prakriti e por isso, quando a consciência do Purusha volta ao mundo da Realidade como
diz o aforismo precedente, prâna fica para trás com o veículo, e deixa de existir a sua
conexão com o Purusha.”

नासिकान्तर्मध्यसंयमात् किमत्र सव्यापसव्यसौषुम्नेषु॥४४॥
Nāsikāntarmadhyasaṁyamāt kimatra savyāpasavyasauṣumneṣu||44||

“Para aqueles que aprenderam a técnica do controle das energias representadas
por prâna e kundalinî, através de prânayâma, não mais existe confinamento da
consciência no reino da manifestação, pois adquire o poder de se mover para cima e
para baixo nos diferentes planos, de acordo com a própria vontade.”

भूयः स्यात्प्रतिमीलनम्॥४५॥
Bhūyaḥ syātpratimīlanam||45||

“Para um Adhikâri Purusha ou yogue que possui perfeito controle sobre os seus
veículos e pode projetar a própria consciência em qualquer parte do reino da
manifestação, ou mesmo transcender esse reino e penetrar no mundo da Realidade,
sempre que o queira, existe também a total reabsorção na Realidade.

 

Amor é a lei, amor sob vontade.